27 outubro 2006

Dignidade democrática

De fazedores de leis a incumpridores incorrigíveis das mesmas

A acta do processo nº 1/cce, do acórdão nº 563/2006, do Tribunal Constitucional, que aprecia as “contas da campanha eleitoral relativa às eleições para a Assembleia da República realizadas em 20 de Fevereiro de 2005”; é prova, entre outras, que a democracia portuguesa, para além de ser ainda jovem, tem como modo de vida a mentira, a falta de responsabilidade dos seus mais acérrimos defensores, e o desplante da justificação da ilegalidade! Como se a justificação servisse de atenuante.
Enfim, o mérito nunca foi, não é, nem será a valor pelo qual se guia e mede o democrata na sua ascensão tirânica em direcção ao saque da coisa pública.
Já sei, sou eu que estou a mentir. Mas se de facto estou. Escolham um político com um cargo de responsabilidade, e investiguem-lhe o passado, a ascensão; e meus caros amigos, ficarão surpresos com o que irão descobrir…

Boa sorte!

23 outubro 2006

PELA VIDA

Blogue colectivo destinado à promoção da vida.
E contra a estupidificação transmutada em lei.
Após convite do amigo Vitor, o deus Thoth acedeu, contribuindo com este artigo, e com a vigilância característica, de quem lá do alto, tudo vê!
-
Uní-vos, oh homens!
Sede intrépidos face à barbárie!
Que a palavra divina seja acção em vossos corações!

21 outubro 2006

LEGIÃO VERTICAL

Finalmente, a Legião Vertical adere às novas tecnologias, pondo à disposição dos cibernautas, um blogue Tradicionalista, com uma visão de futuro, assente no presente, e no conhecimento possível do passado.
Os textos, ao que o deus Thoth apurou, não terão periodicidade diária ou semanal; eles pretendem ser repositórios seguros de um novo sentir, viver, e agir.
O símbolo da Legião diz tudo, ou quase, ficando o oculto para uma vivência mais conforme o lema da Legião: DE PÉ ENTRE AS RUÍNAS!

http://legiaovertical.blogspot.com

15 outubro 2006

Apologia da blogosfera

Serve o presente esboço de apologia, para elogiar a blogosfera nacional; tendo em conta que alguns blogues ditos de referência, têm colocado duas questões fulcrais, uma referente ao desinteresse próprio de quem vê na lamuria uma forma de estar; a outra, ao possível entendimento entre criadores sobre a criação de um maior número de blogues colectivos.
Devo desde já acrescentar, que a blogosfera nacional está de boa saúde, o que significa, que todos os seus blogues (uns mais, outros menos), estão de parabéns!
Quem perder em média uma hora diária na leitura de blogues nacionais, verá que sai a ganhar. E ganha em duas frentes, uma, porque não perde, a hora perdida traduz-se em ganhos formativos e informativos; e a outra, é que não precisa de ver ou ler a informação ou desinformação politicamente correcta veiculada pelos média, ou como diz o camarada Legionário: pelos mérdia!

A blogosfera é um acervo de informação e formação. Quando um comentador comenta, sustentando no seu comentário o seu ponto de vista com informação fidedigna, está a contribuir para a importância da blogosfera como meio de informação poderoso e ainda sem verdadeiro controle governamental!

Vamos agora ao primeiro ponto, alguns blogues, têm tido como correspondência entre si, o acto da lamuria; e a este ponto gostaria humildemente de colocar a resposta na boca de Séneca:”Continuas então a indignar-te ou a lamentar-te disto ou daquilo, sem entenderes que o único mal efectivo é o próprio facto de tu te indignares ou te lamentares?!”

O segundo ponto é mais complexo, versa a diluição do pensamento individual criativo, no pensamento colectivo redutor e formativo.
Quer dizer, só tem sentido criarem-se vários espaços de debates colectivos, entenda-se blogues, se se mantiver o princípio do blogue individual, aquele onde publica-se o que vai na alma, sem filtros normalizadores, próprios do colectivo!

Quer isto então dizer, que o conhecimento individual publicado no blogue particular deve continuar tão presente como agora, tão rico em informação como agora, mais, deve contribuir para um conhecimento histórico dos acontecimentos ocorridos em determinada altura.
A cooperação entre blogues particulares deve, isso sim, incrementar o esforço colectivo, no sentido de criarem-se, dentro dos possíveis, blogues colectivos direccionados a determinado tema, com propósitos objectivos. Também deve-se, com a urgência dos meios humanos ao dispor, criar um acervo de conhecimento da blogosfera, no sentido de ter-se informação de suma importância sempre actualizada e catalogada, e de essa informação servir para a defesa daqueles que dispuseram-se ao serviço dela!

Saber é poder!

09 outubro 2006

O País das maravilhas I

878 anos de história

Vai o tempo em que o fundador da pátria andava atarefado a matar mouros e espanhóis. Agora, o tempo é outro, é tempo de paz, de felicidade e de conformismo apátrida.
Nesta evolução positivista Comteana, o país abeira-se do sublime, tudo graças ao liberalismo triunfante que fez triunfar, no nosso caso, a democracia republicana. Nada pára a evolução positivista, qual barca de Noé, que nos transportará seguros até ao porto da salvação, para aí morrermos descansados.

A evolução da democracia, desde a cidade-estado grega até aos nossos dias, só viu melhorias qualitativas; prova disso: é a universalidade do sufrágio, quer dizer, na nossa democracia, refinada e mais que perfeita, todos Têm direito a voto. Vota o cidadão honesto, o desonesto, o bom, o mau, o bêbado, o violador, o assassino, o pedófilo, o criminoso, o drogado, o malandro, o que não paga impostos (porque diz ser mais inteligente do que os outros), o corrupto, etc., e a lista continuaria, mas fico-me por aqui; como estava a dizer-escrever, nesta evoluída democracia, todo o voto é igual.

Mas se é igual, então a quantidade do número (englobando todo o tipo de trates) sobrepõe-se à qualidade; o que por si só é já uma contradição evolutiva, isto é, o politicamente correcto imposto pela opinião da maioria (quantidade) mais evoluída democraticamente, é lei, determina que a minoria (qualidade) se cale, e que não refute por ideias e juízos; as meras opiniões de circunstância que alimentam as massas (quantidade).

Em suma: para ser breve e ficar por aqui, por enquanto…
Se o fundador, por um milagre feliz da natureza, reencarnasse, ver-se-ia na necessidade de substituir a matança, quer dizer, já não mataria mouros nem espanhóis, mas sim “portugas” – mestres hábeis na arte do desenrasque, da difamação, e da mentira!

Viva o rei!
O Afonso Henriques.

05 outubro 2006

República de pequenas coisas

Dizem-nos, os arautos democratas republicanos (Salazar também governou numa república), que o sentido da implantação da república (lei da bala) teve como propósito acabar com a corrupção na monarquia; quer dizer, do rei, dos amigos, dos nobres, etc..

Devemos considerar, ou ter em consideração, a atribuição de mérito e de honra a tão ilustres membros da sociedade (e digo sociedade, porque é diferente de dizer comunidade). Exemplos a seguir na vida pública (e privada).

Quem, lá do alto, detiver os olhos neste rectângulo de república, verá admirado de espanto e deleite consciente, que aqui mora a cordialidade, a amizade, a honestidade…; e que este grande país é todo ele um santuário cheio de virtudes.

O vício capital da monarquia, entenda-se corrupção, não tem lugar na república. O 5 de Outubro de 1910 foi o antídoto definitivo de todo o mal!

Na monarquia sacralizava-se a figura do rei; na república sacraliza-se a palavra democracia.

Enfim, como se o importante fosse o regime. O que importa às gentes (entenda-se algumas), é como o estado, essa entidade abstracta, administra o todo. Isso sim, é que é importante!

A única Ideia Guerreira de Estado permanece no hino, e pouco mais, pois até a virilidade masculina está em retrocesso, ou dito com maior propriedade – está a fugir para o fundo das costas.

Será dos genes, ou das modas que vestem o tempo presente?

Viva! Viva!
Mas, viva o quê?
O descalabro!

01 outubro 2006

Biblioteca Evoliana

Pela Tradição – Pela via da acção

A Tradição esta viva! Mais viva do que nunca.
Pelo Mistério do Rito e da Sabedoria, é-nos possível aceder a um patamar superior do conhecimento. Prova disso, é o despertar de uma nova mentalidade, ávida de conhecimento multidisciplinar, por um lado; e por outro, já cansada da informação inócua e idêntica que a todos é dada por igual, procura o sublime em todos os actos quotidianos.
Esta biblioteca Evoliana on-line criada em Setembro, em espanhol, vem auxiliar aqueles que sequiosos de saber, lançam-se por vezes, por caminhos tortuosos, indo intricar em nada, vendo-se aí em apuros, sem auxílio nem bóia salvadora, à mercê de mentes manipuladoras que estudam a arte da mentira pela mesma cartilha!

A Tradição – para além de estar bem viva: é a garante de uma mente desintoxicada.
Fundamenta-se no intemporal. Está para o Homem intrépido, como o Homem está para a vida! Nem mais nem menos.

Citando Hermes Trimegisto – meu consorte grego: o homem é um deus mortal, e o deus um homem imortal!

O intraduzível revela-se só, por intermédio do pensamento, e este, não foi dado a todos por igual…

http://juliusevola.blogia.com