28 dezembro 2006

Constituição da República Portuguesa

Democratização em marcha

art. 58º (Direito ao Trabalho)
1 Todos têm direito ao trabalho.

art. 63º (Segurança Social e Solidariedade)
1 Todos têm direito à segurança social.

art. 64º (Saúde)
1 Todos têm direito à protecção da saúde e o dever de a defender e promover.

art. 65º (Habitação e Urbanismo)
1 Todos têm direito, para si e para a sua família, a uma habitação de dimensão adequada, em condições de higiene e conforto e que preserve a intimidade pessoal e a privacidade familiar.

art. 73º (Educação, Cultura e Ciência)
1 Todos têm direito à educação e à cultura.

art. 79º (Cultura Física e Desporto)
1 Todos têm direito à cultura física e ao desporto.

A democratização “oficial” fora consignada a 2 de Abril de 1976, com a aprovação da CRP em Assembleia Constituinte.
A partir daí, a estratégia era levar a todos tudo, como se tudo estivesse ao alcance de todos; mas do tudo, apenas sobrara umas migalhas para todos. Portanto, de todos os direitos inscritos para todos, todos têm direito ao direito, mesmo que esse direito passe diante dos olhos, ou esteja inacessível para todos, não deixando por isso de ser um direito.

Enfim, ao menos, democratizara-se (sejamos honestos) a vulgaridade, a infâmia, a maledicência, a baixeza, a hipocrisia, e todo um conjunto de substantivos análogos que caracterizam na perfeição este rebento de homem “vulgocrático”.

Bem haja a modernidade, que fez ressurgir os sofistas, como diria Sócrates (o Filósofo) os prostitutos do bem falar…Logo, do bem enganar…

24 dezembro 2006

Natal


O deus Thoth deseja ao comum dos mortais um santo natal, na companhia daqueles que eles mais gostam.
Para os legionários, defensores da lei divina, da honra, da fidelidade, e da verdade - velarei por eles enquanto deus.
Toda a prova de verdade será recompensada, amai os vossos, amai-vos, sede diferentes pelo que tendem em cima, e não em baixo, que o vosso exemplo seja a luz que os outros procuram.
-
Avé

23 dezembro 2006

Autoridade

Diz-se, que nas forças da ordem, a falta de escolaridade obrigatória ronda os 22 mil indivíduos.
Poder-se-á também alegar que alguns, desse universo, já terão idade superior a 40/50 anos. Como se a retórica servisse para desculpar a falta de acompanhamento da evolução técnica e formativa dos agentes.
30 anos de poder democrático, pelos vistos, não foram suficientes para formar, ensinar, e dotar os agentes de capital intelectual suficiente para poderem combater o crime de forma eficaz.

Parafraseando Platão, é mais perigoso ter um mau cidadão inteligente, do que um mau cidadão ignorante, ou seja, como pode um agente não formado, «info-excluído», fazer face a um criminoso intelectualmente superior.
Temo que o agente, apenas deseje o fim do mês, e tenha como prioridade e sentido profissional: o passar multas.

Em suma, que autoridade existe nestas forças?
Servirão elas para defender eficazmente o Estado, consequentemente , o cidadão?
Mais uma vez, temo que não.
A preguiça mental é inimiga da eficácia!
Com certeza, será mais cómodo deixar andar….

18 dezembro 2006

LEGIÃO VERTICAL

-
...Camaradas, cada vez é mais difícil mantermo-nos fiéis a determinados princípios. Nunca a estupidez tinha assumido antes tantas formas como as que se apresentam na actualidade: Desde o maltrapilho ao executivo; do varredor ao político; do subordinado ao subordinante; do aluno ao professor; do operário ao patrão … eles conseguiram, institucionalizaram a estupidez e tornaram-na atraente. Mais, ela é um objectivo a atingir. Escolhe o caminho certo e serás estúpido! Este poderia ser um dos lemas do mundo moderno. Estúpido mas informado, dirão alguns. Sim informados de toda a estupidez!...

13 dezembro 2006

Fórum Terceira Via

Para ler, consumir compulsivamente, de preferência a seguir às refeições. A opinião é desejável, se se tiver como motivo, o que está para além do meramente existir!
Diz-se que o meu consorte grego, por lá escreve, se descobrirem que é? Talvez decifre para os meus amigos mortais o sentido da vida! E do que é feito o homem!

10 dezembro 2006

Leitura obrigatória em Legião Vertical

"Quem somos, o que queremos e para onde vamos?
Estas são perguntas que já colocamos a nós mesmo e que de certa forma outros já nos colocaram:-O que fazem? O que estudam? Têm algum objectivo específico? Etc.Acontece muitas vezes não darmos a resposta adequada porque temos alguma dificuldade em saber do que podemos falar e o que devemos dizer. Todos os membros aceites e que fazendo parte de uma estrutura mais interna sabem que na nossa Ordem existem rituais que não podem ser desvendados ao neófito pois são nossos, fazem parte da nossa unidade enquanto Ordem. Estes rituais não têm nada de estranho, simplesmente podem ser mal interpretados por quem não tem conhecimento de determinados assuntos e por essa razão devem connosco permanecer secretos."
-

06 dezembro 2006

Salário Mínimo Nacional

O governo, em concertação social com os parceiros da trama, aprovou o decreto-lei que actualiza o SMN em 4,4%, para 2007.

Diz também, o nosso querido governo, que os aumentos do dito, cifrar-se-ão em 450€ para 2009, e 500€ para 2011.

Não sei muito bem o que vai na cabeça destes meros mortais, se concordam com o que diz o artigo nono da CRP, ou se vivem completamente à margem do país real dos pequeninos.

O SMN, fruto de um contrato de trabalho, não é nenhuma esmola, é um direito do esforço dispendido durante um mês de trabalho.

Ao valor real do SMN há que descontar os 11% para a SS, e a respectiva taxa para o IRS. Feitos os abatimentos devidos, provavelmente, sobra pouco para as obrigações (facturas), alimentação, vestuário, filhos, etc.…

Enfim, este é o país dos pobres, dos tristes, dos que mendigam um salário, dos que não sabem para que vivem, nem para onde vão?

A mentira do liberalismo democrático tem muitos tentáculos, que urge extirpar.

Estes novos – sempre – “mendigos” das migalhas alheias, ainda vão descontar do seu já parco salário, para que outros parasitas: subsídio-dependentes, se alimentem do esforço de outrem.

Este é o país real, aliás, bem real, que o politicamente correcto teima em não ver!

03 dezembro 2006

LEGIÃO VERTICAL

"Tanto o mal como o bem já existem em nós como gérmen, as diversas circunstâncias da vida é que fazem que um se manifeste com maior ou menor intensidade em detrimento do outro. As organizações humanas, logicamente por serem constituídas por homens e mulheres, reagem mais ou menos da mesma maneira. Também elas trazem consigo o gérmen do sucesso ou da sua própria destruição, mais do que factores externos são circunstâncias internas de carácter individual ou colectivo que corrompem essas organizações."
-
O deus Thoth, recomenda a leitura atenta do texto completo, na página da Legião Vertical.

02 dezembro 2006

Aposentados de luxo II

A grande mentira

Uma qualidade, dentre as muitas que se atribui ao deus Thoth, é: Arquivista. Lá em cima, arquiva os ditos dos deuses; cá em baixo, o que fica escrito: em normas, decretos, despachos, leis, decretos-leis, etc.

O homem parece ter a necessidade imperiosa de produzir papelada, ficheiros físicos e digitais, como se mais leis e companhia, fossem sinónimo de melhor vida para o cidadão.

Parece também haver por parte do governo das coisas terrenas, o sentido existencial de omitir factos relevantes, quer dizer, insufla medo no quase reformado, impondo decretos-leis que viram leis no parlamento, onde a diferença entre o reformado do regime geral, e o amigo aposentado da caixa geral de aposentações, é cada vez mais obscena, ganhando menos os primeiros, e muito mais, superlativo – os segundos.

Quase que me atrevo a dizer, que estes meros mortais, aprenderam a arte de governar pelo medo, dissimulada na mentira descarada, enfim – todos diferentes, todos iguais!

Despacho nº 24649/2006, do Ministério das Finanças…

Aviso nº 12744/2006, DR nº 231, série II de 2006-11-30 – lista de aposentados e respectivas reformas, vide se tiverdes tempo, o valor da dos militares – coitados?!

Para concluir, o Arquivista divino, cita o art. nº 9, alínea d) da CRP:”Promover o bem-estar e a qualidade de vida do povo e a igualdade real entre os portugueses…”; e o art. nº 13, ponto 1:”Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei”

O mundo das coisas terrenas é assim, assente no nada e na mentira!