18 novembro 2007

Comentário

A seguir transcrevo na íntegra, um comentário feito ao texto da Análise, por Carlos Portugal, pelo menos, é assim que se intitula ao assinar.
-
Caro Thoth: Esta plutocracia cleptocrática e globalista (para utilizar vocábulos a deitar para o erudito, evitando resumir tudo a «roubalheira») tem vindo a ser planeada há décadas, apenas aferida aqui e além, ao sabor das reacções dos povos-cobaias. A fórmula «democrática», como muito bem escreve, está esgotada; ou seja, estava já esgotada há muito: já Platão lhe chamava «o segundo PIOR sistema político possível». Isto porque descamba inevitavelmente para um triunfo da mediocridade - na melhor das hipóteses - ou para uma tirania, na outra. E é nesta outra que nos centramos, na tirania «democrática». É claro que os seus mentores sabem perfeitamente que esta «democracia» é apenas uma fachada para o desmando gigantesco que estão a perpetrar no planeta e nesta Nação. Já os velhinhos «Supertramp» cantavam o «Crime of the Century», com muita propriedade e sabendo provavelmente do que se tratava. Muito bem (ou muito mal); estes neo-criminosos globalistas propõem-se simplesmente a criar o planeta-empresa-campo-de-trabalhos-forçados, ou seja, subverter todas as formas de governação e soberania para imporem a sua «Nova Ordem Mundial», em que uma oligarquia auto-proclamada e mais ou menos anónima se serve das pessoas, das nações e do planeta como de uma empresa destinada a gerar lucro e apenas lucro. As pessoas deixam (deixaram) há muito de ser pessoas para passarem a ser «recursos humanos», equipamento, como os clips, as fotocopiadoras, quando muito os computadores. Se não gerarem lucro, são descartadas. Com os «recursos» naturais passa-se o mesmo. Aliás, a mentalidade é a de «après moi le Déluge», servindo os discursos «ecológicos» apenas para desbravar mais nichos de mercado e extorquir mais dinheiro às populações, em «impostos ecológicos». É aqui que entra a cleptocracia, a extorsão a toda a força. Sobre as populações, sobre o ambiente. Para isso, inventam-se todo o tipo de desculpas, desde «conjunturas económicas», «déficits», etc, num jogo absurdo que qualquer ser pensante rejeitaria por evidente falsidade. Para manter este esmagamento populacional em marcha, é criado um autêntico estado policial, que faria empalidecer uma Gestapo, pois é muito mais repressivo e subreptício. A maior parte das suas actuações criminosas são negadas publicamente, as outras são «justificadas» por outra farsa corrente: a questão da «segurança». E aqueles que ainda não estão imbecilizados por futebolites crónicas ou telenovelites agudas, são marginalizados, apontados a dedo, perseguidos, ou mesmo - se fizerem muito barulho - apelidados de «terroristas» e «desaparecidos» para qualquer choça escondida algures no «mundo global». Já não há governos, apenas testas-de-ferro da dita oligarquia; já não há políticas, mas apenas cenários pretensamente justificativos de «medidas» aberrantes e de outro modo totalmente inaceitáveis. Despejam-se doses maciças de subliminares sobre a população, inoculam-se-lhe doenças, esmagam-na com uma repressão (i)moral, económica e física absurdas, perseguem-se todos quantos discordam da destruição do mundo que conheceram. E Portugal é um balão de ensaio para estas «medidas», como afirmou há bem pouco tempo um comissário europeu, muito satisfeito com a enormidade. Só que os povos têm uma Alma, e os Deuses não dormem. E, quando essa Alma despertar as pessoas, o destino dessa oligarquia criminosa afigura-se bem funesto. E estamo-nos a aproximar rapidamente desse ponto.
-
Inicio, com a publicação deste comentário, uma nova era de comunicação deste blogue, pois a partir de agora, todos os despertos nele têm lugar. Não nos podemos conformar com a democracia, muito menos com os políticos fantoches que nos desgovernam em nome da mentira histórica. Todos os meios são válidos. Se queres ganhar ao teu inimigo, utiliza as mesmas armas...

6 comentários:

Bernardo Kolbl disse...

http://suckandsmile.blogspot.com/2007/11/no-solidariedade-com-os-trabalhadores.html

PlanetaTerra disse...

JÁ DISSE ISTO 'n' VEZES:




--- Os Mega-Capitalistas [Apátridas] - dotados de fortunas colossais - não estão somente interessados em 'Altos Lucros'... , eles estão também fortemente empenhados em lançar o CAOS no Planeta [ 1- Caos Social , 2- Caos Demográfico, 3- Caos Ambiental ]... para depois... ANIQUILAREM os Estados Soberanos [ os Países que existem no Planeta ]!...
--- De facto, enquanto o Planeta vai caminhando na direcção do CAOS... os Mega-Capitalistas ( Bieldbergs e Afins... ) vão-se posicionando... no sentido de ASSUMIREM O CONTROLO do Planeta: Com o fim do Serviço Militar Obrigatório, as Forças Armadas foram reduzidas a 'profissionais'... que irão trabalhar para quem lhes pagar mais... , e... com Mercenários muito bem pagos [e dotados de armas de alta tecnologia - Armas Nucleares, Armas Químicas, Armas Biológicas]... vai ser MUITO FÁCIL liquidar milhões e milhões... para que depois... os Mega-Capitalistas [Apátridas] possam - a partir do CAOS... - erguer uma NOVA CIVILIZAÇÃO no Planeta:
---> um PLANETA PRIVADO... com Senhores Donos do Mundo -> um NEO-FEUDALISMO à escala global!!!... Aonde as pessoas serão controladas como 'animais de estimação' pelos Senhores Donos do Mundo... -->> ... 'a Privatização da Vida Humana' ...








EXEMPLO 1:
---»»» No passado, a partir de uma Europa mergulhada no CAOS, os Senhores Feudais (Capitalistas Selvagens com os seus mercenários) ergueram uma Nova Ordem: o Feudalismo.
---»»» No futuro, a partir de uma Europa [e do mundo...] mergulhada no CAOS, os Novos Senhores Feudais (Capitalistas Selvagens com os seus mercenários) irão erguer uma Nova Ordem: um Neo-Feudalismo...





EXEMPLO 2:

No passado, os Capitalistas Selvagens mexeram os seus cordelinhos... para que as Empresas Públicas fossem consideradas uma coisa inviável...

---»»» O CAOS provocado por essa 'coisa inviável' - as empresas públicas - (um exemplo: na URSS)... teve como resultado final a privatização das empresas: hoje em dia, os recursos naturais da Rússia estão nas mãos de meia dúzia de senhores...

Hoje em dia, os Capitalistas Selvagens andam a mexer os seus cordelinhos... para que o Mundo Público seja considerado uma coisa inviável...

---»»» O CAOS provocado por essa 'coisa inviável' - o mundo público (vulgo a humanidade) -... deverá conduzir à privatização da vida e do mundo: com os novos senhores donos do mundo (neo-feudalismo) e os seus mercenários...
{ Uma Observação: E os Sobreviventes irão APLAUDIR os Senhores Donos do Mundo!!!... Visto que... eles colocaram ORDEM numa situação de CAOS... -> quanto maior o Caos... maior irá ser a 'autoridade moral' dos Senhores da Nova Ordem no Planeta... }
{{{{{ "!!! os Privados é que vão saber tomar conta do Planeta !!!" -> é a teoria de que... faz falta o Planeta ter um ('alguns'...) 'DONO DO PLANETA'... pois... será esse 'DONO DO PLANETA' que irá zelar pela Sobrevivência da Vida no Planeta Terra... }}}}}





Resumindo: O CAOS gera oportunidades... que os Capitalistas Selvagens adoram aproveitar...

Anónimo disse...

ó thoth
tens que conhecer pessoalmente este Carlos Portugal e traze-lo cá à barbearia.

Malaquias (o barbeiro)

Anónimo disse...

Ó planetaterra, me parcece que tu tambem queres criar um feudo só com gajos iguais a tí.
E quem vai ser o teu senhor feudal?
O dono lá da reserva?
Pode não vir ao caso mas ponho-me ás vezes a pensar como será a tua cabeça por fora, porque por dentro já a podemos imaginar. Mas não ligues, isto é mania estética de barbeiro.
Aparece tambem na barbearia. Fala aí com o thoth. Vais ver que em vez dos 50%-50% vamos conseguir uns 75% só para nós.

Malaquias (o barbeiro)

Thoth disse...

Caro Planetaterra,
o que nos diz não é novidade, a pátria do capital é o dinheiro. Logo, na perspectiva deles, todos os bens são transaccionáveis, mesmo o que de melhor temos, o Bem.

***

Amigo Malaquias,
ainda vou convencer o Carlos Portugal a ir à barbearia.

É preciso, como diria um grande amigo meu :), formar um crisol de homens, capazes de decisão. Firmes e resolutos, tanto no propósito, como no sentimento de irmamdade que os deve acolher.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Carlos Portugal, cultissimo comentarista