31 janeiro 2008

Bastonário da Ordem dos Advogados

Como o assunto ainda não está morto, nem se encerra com o silêncio, após "esterismo" colectivo partidário. Venho eu aqui, também, lançar mais achas para a fogueira. Após doces palavras proferidas pelo bastonário, a propósito da corrupção e outras bagatélas políticas, os partidos suaram alarmes, a defenderem a dama da honra e outras quiméras democráticas cuja cruz possibilita. O procurador dos tugas, também ele indignado, com o quê, não deve saber, abre logo um rigoroso inquérito ao bastonário, para se poder apurar toda a verdade, ou o que dela deve ainda restar, se é que resta alguma coisa.
Mas como os Deuses não são burros, e sendo Eu descendente directo dessa linhagem Divina, via Egipto, venho aqui humildemente (salvo seja, só se fôr para cortar a cabeça a algum humano da política do reino dos tugas), lançar mais lama à coisa, no sentido, claro está, de ajudar o procurador a deslindar a verdade, ou será acultar, pois se é com lama que ajudo, só complico, é assim ou não é assim!? Estava eu a dizer, que o bastonário até pode ter alguma razão, senão analisemos os dados, quer dizer, as trafulhices ou no melhor dos casos, o enriquecimento sempre dos mesmos (coincidência dos tempos modernos democrátas). Se um político honesto, honestíssimo, ganhar X durante um período de tempo, e se nesse tempo, viver como aquele que ganha Y (maior que X), e após a sua carreira, tiver coleccionado um império só com X's, não acham estranho, que o dinheiro de uns seja macho, e de outros seja fémea. Lembro ao procurador, que o estado tem à muito mecanismos de defesa para situações deste tipo, o problema, é que quem controla, não controla coisa nenhuma! Pois alguns desses controladores, também tranformam o X em Y, coisa muito em voga. Bastava ao procurador e companhia analisar os muitos X's de alguns, com o salário de X auferido ao longo de x tempo, para chegar a uma conclusão, e então aí, teríamos que concluir, que o excesso de X's, a saber: é fruto do euromilhões...e mais qualquer coisa que agora não digo, coisa de Deus! Se o procurador, MP, sis, e afins, precisarem dos meus serviços, estarei no Egipto!...

30 janeiro 2008

Parasitas II

Porque se sente medo no dia a dia? Quem vos impede de agir? Quem vos impede de viver? Porque não ajais? Que pretendes fazer da vida? Apenas rezar, ou deixar que outros o façam no vosso velório?
É hora de agir, é hora de dizer basta, é hora de derrubar o sistema, antes que o sistema nos derrube a nós.
Quem acredita nestes democratas de trazer por casa e transitórios? Quem ainda tem coragem de lhes compor hinos? Quem tem ainda a distinta lata de rezar pelas suas almas? Que deveriam arder no inferno para toda a eternidade!
Que medo vos impele a não agir? Será do ataque generalizado a todas as profissões? Sob o lema do défice e da globalização. Ou será simples medo, oculto nos lemas: tenho família; não se pode fazer nada; sempre foi assim; que posso eu fazer; não tenho tempo. Meter a cabeça na areia ou olhar para o lado, ou sacudir a água do capote, é fácil, mas quem se lembrará do que não fizemos? Se não foi feito, nada fica para o futuro de que nos possamos orgulhar... Que ireis dizer aos vossos filhos, por consentirdes o saque e a ruína!!!

25 janeiro 2008

Parasitas

Para que se entenda melhor o que irei dizer, e para que não haja mal entendidos, socorrer-me-ei de uma singela parábola, à maneira dos filólogos, nossos amigos das letras. Quando um tumor maligno, entenda-se "cancro", destroi ou tenta destruir o sistema imunitário de um ser; esse ser deve logo agir, no sentido de fortalecer o sistema imunitário, bem como, por todos os meios disponíveis, aniquilar o agressor, sem que este tenha possibilidade de reacção. Se assim agimos para com um outro ser que não vemos a olho nu, mas cujo anseio é evitar que vivamos. Como poderemos entender que ao vermos o agressor a olho nu, não façamos nada, não ajamos em defesa da nossa vida. Do que sabemos ser o certo. Enfim, lutamos contra seres minúsculos (por comparação), e não temos a coragem suficiente de enfrentar aquele que se nos opõe diariamente, sem pudor nem vergonha na cara. Por considerar que somos meros seres descaráveis, que apenas servem para preencher os censos. Calar, ficar inactivo, a deambular sem sentido pelo que se entende ser a vida, é permitir que o outro, o verdadeiro parasita, floresça, se é isso que quereis, continuai assim! E muita boa sorte...Eu por mim, já tenho um outro remédio eficaz!!!

16 janeiro 2008

08 janeiro 2008

Reformas à democrata socialista...

-
Antes mesmo de comentar a ilusão da solidariedade democrática, para com os menos necessitados, devo colocar pelo menos uma pergunta aos caríssimos governantes desta bela inacção: Quando os detentores de cargos políticos, se aumentam a si mesmos, fazem-no também de forma faseada? Ou o será exclusivamente, para o resto da populaça!? Aquela mesma que ainda acredita em democracias e democratas. O povo ainda se vai arrepender da vida em democracia! E clamará por outro ditador! Não nos esqueçamos que o último morreu pobre, sem meter a mão no erário público...

07 janeiro 2008

Meras estátuas

Um livro de poemas muito interessante, que o Deus Thoth, já lera há muito tempo, mas que agora resolveu publicar aqui um pequeno poema, por ser propícia a época em que revela ao mundo. Um mundo, dirão uns, pleno de oportunidades de negócio, dirão outros, um mundo assente nas desigualdades bem implementadas e sabiamente cultivadas no reino da terra!
-
Cada época gerou os seus fantasmas,
cada fantasma foi um deus absoluto:
ordenava a morte, ou a alegria e o vinho,
e os homens matavam, ou bebiam e amavam,
com a mesma convicção:
a certeza absoluta do dever.
Depois vinham outros deuses,
que emitiam novas ordens, às quais
os homens sempre, cegamente, obedeciam.
Aos mais cegos, erguiam-lhes estátuas.
-
Se depois da atenta leitura deste belo poema de Jorge Guimarães, nenhum mortal atingir o satori, ou iluminação, deduzo que a sensibilidade poética esteja a morrer! Um simples sorriso no final da leitura, denuncia (palavra de Deus) a compreensão quase total da trama colectiva a que os mortais estão sujeitos!
-
Se quereis a imortalidade, buscai-a no esforço, no suor e no sangue!!!

02 janeiro 2008

Escolas...

-
Começo este novo ano, com um artigo sobre a educação, ou o que falta para que haja educação. Escolhe o santo ministério da educação, não fazer melhor educação, educando os cidadãos para a chamada cidadania, mas o inverso, quer dizer, procura por obras valorosas livrar-se das denominações alusivas a santos que ainda povoam o colectivo português. Não sei se a inteligência é fruto deste novo ano, ou se alguns ministros fizeram as novas oportunidades, onde pouco se estuda o realmente interessa, e muito se escreve e fala do que deve ficar entre portas...Esta situação muito particular do tuga, deve ser fruto daquela mentalidade pós 25 de Abril, onde cursos superiores eram tirados a papel químico, não sendo preciso estudar, pois passava-se administrativamente, coisas do pcp e outros amigos...
-
Este ano deve ser um ano de acção, seja esta visível ou não. Devemos analisar e catalogar cada político. Quem era, o que fez, e o que tinha; para podermos tirar as devidas conclusões, e quem sabe usar os dados compilados em sede própria! A história, façamo-la nós, sem intermediários...Nem bandidos de nenhum género!!!