29 dezembro 2009

FÓRMULA

Animai os bons e afastai os maus
-
Parece simples mas não é, na medida em que no dia-a-dia assistimos ao contrário, sem que por vezes possamos fazer algo, por sermos poucos, e por vestirmos a pele do bom.
Entendamos que ser bom é não claudicar face as adversidades, não esmorecer, não virar as costas, não se deixar abater pelo desanimo de se sentir sozinho no meio da batalha, entre dois exércitos.
De um lado, vemos um exército determinado a executar qualquer manobra e estratégica no sentido de nos anular, não fisicamente, pois seria politica e democraticamente desaconselhável, mas social, profissional e individualmente, por todos os meios legais e ilegais postos ao seu serviço.
Do outro lado, vemos um exército de diminuídos, de tristes, de resignados, cujos pseudo guerreiros já desfaleceram por antecipação, por desgaste psicológico, e por apatia incompreensível.
No meio estamos nós, não cobertos de moral ou de boas palavras ou ainda de retórica, mas de luta diária. Continuar de pé significa continuar a lutar, continuar de pé significa querer viver sob a fórmula gravada quer no coração, quer na mente. Por forma a que a dualidade do corpo não se confunda e se revitalize continuamente em prol da vida e da dignificação do valor intrínseco da verdade...

21 dezembro 2009

Solstício

O solstício de inverno marca o início de uma nova estação, a de inverno. Neste solstício existem evocações de cerimónias para todos os gostos, no entanto, prefiro saber que neste dia, os dias começam lentamente a ficar maiores, logo, havendo mais luz há mais calor, as outras cerimónias ficam para quem as vive e as sente como sendo suas...

20 dezembro 2009

À deriva...

Quando gastam, gastam o que não é deles, mas sim daqueles que efectivamente produzem, e que com o seu labor diário sustentam o estado e todos os dependentes, sejam ricos ou pobres, pois todos eles pedem, uns de uma maneira, uns de outra, e assim lá vai o dito estado que para dar a estes dois grupos de dependentes, tira a quem mais precisa...

14 dezembro 2009

Alterações climáticas

Parece haver por aí uma corrente de pensamento defendida por alguns cientistas, que afirma que a libertação de CO2 para atmosfera não interfere com a mudança que ocorre nas variações climáticas.
-
Esta é para meditar e se possível, para investigar.

11 dezembro 2009

verdade escondida

O título não é inocente, muito menos pretende ser um ponto de partida de uma ideia solta, no entanto, serve para embelezar-se a si mesmo e finalizar este texto.
-
Nestes tempos conturbados da nação lusa, onde graça a mentira e onde os verdadeiros factos são escondidos, e ocultados, no sentido de se obter com essa estratégia reconhecimento imediato e ascensão vertical dentro da chamada mobilidade social. É fácil reconhecer onde está a ou as mentiras, e qual o ou os mentirosos que vivem desta forma de estar na vida.
-
Parafraseando Michelet, o historiador da ressurreição do passado. Compete-nos também a nós, que vivemos segundo o ditame da verdade, ressuscitar as verdades que se encontram ocultadas por de trás das mentiras habilmente produzidas por quem deseja santificar a ilusão.
-
Enumerar algumas é fácil, o difícil é saber toda a razão da mentira, no entanto, a verdade sustenta-se a ela mesma, enquanto que a mentira necessita de sucessivas e intermináveis mentiras para se poder justificar como mascara da verdade.
-
Exemplos: BPN, RTP, Carris, Metros, TGV, TAP - tudo empresas onde buracos financeiros crescem na razão directa do tempo linear. Não adianta falar mais sobre o assunto, produzir barulho que apenas ofusca a mente. O que interessa, é o que se deve desde já fazer, o que podemos nós já fazer...eu sei-o muito bem, mas temo estar sozinho num mundo de mortais adormecidos e anestesiados com as sucessivas mentiras que os mentirosos ardilosamente produzem para nosso benefício e bem estar...

06 dezembro 2009

Democracia e Justiça...

Neste momento temos o défice acima dos 8%. O desemprego já passa a fasquia dos 10%, pelo menos aquele que é tido para análise. A desigualdade social cresce no sentido directo da crise, não uma crise de produtos essenciais, mas de uma crise provocada pela ganância imobiliária e bancária. O governo socorre a banca mas esquece-se do socorro aos mais desfavorecidos, dos que ficam sem trabalho, dos que lhes fora prometido uma vida melhor, um futuro risonho.
-
Mas o socorro à banca, não tem apenas o sentido que lhe atribui o actual ministro da economia, que é, a saber: o de evitar o colapso do sistema financeiro. O medo é mais profundo, e desta vez, assustou os poderosos, na medida em que viram no futuro não só o colapso do sistema monetário, como a falência da democracia, isto é, se o sistema financeiro entrar em ruptura, todo o sistema democrático deixa de ter sentido, e este último ponto, será facilmente percebido pelo povo que rapidamente agirá contra aqueles que durante estes anos todos têm tido na mentira um aliado.
-
Até aqui, o poder judicial tem sido um aliado das democracias, como o fora com as ditaduras, o que quer dizer que o poder judicial adapta-se ao poder vigente do mesmo modo que a religião católica o fez ao longo da sua história. Uma evidência encontra-se na repressão que é tida quando um cidadão ou um conjunto de cidadãos é perseguido pelo poder judicial, em honra das leis produzidas pelo poder temporal e político vigente. Assim, o poder judicial, converte-se num colete de forças que reprime qualquer tentativa de se introduzir no sistema democrático, outras ideias que não sejam as consideradas democráticas. Todo o sistema esta assim dirigido para aquele fim, que tem como suporte o financeiro. Um sem o outro não existe, dito de forma erudita, a filosofia da democracia, não é a apregoada, uma vez que os seus pilares de sustentação estão assentes no lodo.
-
Continua...

02 dezembro 2009

Infecundação da inteligência

"À infecundação do individuo pelo espirito da raça corresponde o desfallecimento do poder creativo, a inercia da intelligencia, a esterilidade do estudo, a degeneração da phantasia, o abandalhamento do gosto, a atrophia do proprio caracter, e, em ultimo resultado da decadencia geral, a desnacionalisação pelintra de todo um povo."
-
Ramalho Ortigão, já em 1896, alertava os poucos sãos espíritos académicos, da possível dissolução do que hoje entendemos por cultura. Foi mais longe, apelou há urgência de uma reforma sã da arte, entendida no seu todo. Como sempre, não foi ouvido. Aqui cito as suas palavras em português coevo.
-
ORTIGÃO, Ramalho, O Culto Da Arte em Portugal, António Maria Pereira, Livreiro-Editor, Lisboa, 1896

25 novembro 2009

Corrupão

Esta foto foi tirada de uma causa a circular no Facebook, onde se pretende que o cidadão comece a estar predisposto a abrir os olhos no sentido de alertar os corruptos e não só, de que estamos atentos, e de que nem todos estão a dormir à sombra da bananeira.
-
Chegará o dia, pelo andar da carruagem, em que teremos de ser nós a aplicar a justiça, uma vez que num futuro não muito distante, como já acontecera no passado, a justiça estará refém de leis castradoras da sua real e nobre função: a de fazer justiça...

16 novembro 2009

Face oculta...continuação

Segundo consta, o PGR, mandou destruir as escutas onde alegadamente estariam conversas do primeiro ministro. Digo, porque penso que tanto o supremo como a procuradoria estão a fazer um trabalho eminentemente político, isto é, estão de certo modo a cercear a verdade, dito de outro modo, estão a impedir que o cidadão, garante do estado e do sistema democrático, tenha acesso à verdade. Sendo a democracia o poder do povo, não se compreende que esse mesmo povo seja privado de saber o que dizem os governantes nas suas costas, e se o que dizem configura crime ou não. Assim, o povo, aquele que supostamente tem poder, vê ser-lhe amputado o possível conhecimento dos factos, primeiro omitidos, e depois, destruídos por ordem do poder judicial, que neste caso concreto, deixou de ser outro poder para passar a ser o mesmo poder...

11 novembro 2009

Faces claras...

Era uma vez um país de mentira, onde mentir, enganar, aldrabar, prometer, não cumprir, ser democrata com tiques ditatoriais, é como que uma necessidade de subsistência tida como natural, e onde quem não faz o mesmo, parece ser burro, estúpido, e claro esta, pobre...

03 novembro 2009

Face oculta

O deus Tot revela mais depressa a sua imagem, pelo menos a que pode ser contemplada por um mortal, do que a justiça revela um criminoso político.
A face oculta, nome de código tornado público, deixou de ser oculta, para estar visível de todos, ou audível de todos, pelo menos no que diz respeito ao que interessa saber, entendido aqui pelo que chega através da comunicação social, verdadeiro crivo de noticias seleccionadas para consumo imediato.
-
É hora de o cidadão honesto tomar as rédeas ao poder, com ou sem recurso à violência. Honestidade não é sinónimo de cobardia, muito menos de feminilidade, entendida aqui: como inferioridade física resultante da inércia...
-
Disse em tempos que estou disponível a tomar as rédeas. Amanhã poderá ser tarde de mais?
-
Se continuarmos a consentir, eles continuarão a roubar-nos! A rirem-se da nossa apatia! Da nossa indiferença!
-
Do mesmo modo que necessitamos de ingerir alimentos para nossa a subsistência, também precisamos de repor imediatamente a justiça daqueles que no dia a dia, no labor diário se sentem roubados por quem os dirige...
-
Lutar hoje, significa erigir as traves da nova história, aquela que sentimos no meio das mãos.
Lutemos ao menos pelos nossos - Se eles utilizam a corrupção como forma de luta, nós usamos uma outra arma, mas essa fica para o privado, até lá, meditem, e tomem o futuro como vosso...

22 outubro 2009

Big Brother

Quando se fala em absolutismo régio, ou em tentativas ditatoriais de controlo massivo efectuadas durante as ditaduras do século vinte, está-se a tão só a definir essas formas de governo, sem que estas tivessem na altura as ferramentas necessárias ao dito controlo.
-
Agora é mais alarmante, não só no controlo eficaz das massas, como no controlo cada vez mais dissimulado de tentar impor um pensamento único em prol, não do benefício comum dos povos, mas daqueles que no oculto determinam o que podemos ser...
-
Se não abrirdes os olhos, e verdes para além do assessório, tereis de no futuro não muito distante: de baixardes as calças...

15 outubro 2009

Última hora

O senhor Engº Sócrates lamenta-se aos jornalistas, ou faz queixinhas, não o sei bem, sobre a indisponibilidade de diálogo político por parte dos outros partidos com assento no parlamento.
Todavia, durante a última legislatura, o senhor Engº mostrara a mesma indisponibilidade de diálogo face aos demais, fruto de uma maioria parlamentar anti dialogante...

05 outubro 2009

5 de Outubro de 1143


Nesta importante data oficial do nascimento da nacionalidade Portuguesa, por intermédio do "tratado" de Zamora, apenas e só se comemora outra data, a da implantação da República, em 5 de Outubro de 1910.
É certo que já nascemos por assim dizer "republicanos". No entanto, nada nos deve demover de assinalar a data oficial do nosso nascimento para o mundo. Mas como maus homens, maus filhos, e maus cidadãos da Pátria, apenas comemoramos o "casamento forçado" da Pátria com a República.

30 setembro 2009

As Verdades de Medina Carreira

Disse em tempos, e sem medo, que este país, ou se endireitava pela via legal, democrática, justa; ou haveria no futuro um banho de sangue...Sei que existem algumas correntes dispostas a fracturar o social, o político e o económico. Estarei sempre disponível a tomar as rédeas dessa luta, porquanto se deve logo desde o início definir por onde começar...eu sei por onde mas não digo...tragam-me cá os homens e eu faço o resto...

25 setembro 2009

22 setembro 2009

Tot

Os meus amigos mortais já podem contemplar o verdadeiro rosto do deus Tot, pelo menos aquele que pode ser percebido pela vista humana.
-
O meu consorte grego afirmava: que o homem é um deus mortal, e o deus um homem imortal.
A partir desta premissa, deste insuflar de energia criadora, de luz de vida, somos tentamos a admitir que o impossível esta ao nosso alcance, e que o sentido da nossa existência não é um mero sentir biológico, natural. Pelo contrário, podemos e devemos tomar as rédeas da existência, da criação de vida, que as novas tecnologias permitem, como sejam, o caso da biotecnologia ou simplesmente da nanotectnologia. Cito estas duas novas ciências, não para falar delas, mas para dizer que o homem pode de igual modo operar mudanças profundas no devir político, económico e social. O futuro está na sua mão, resta saber par onde pende a decisão, se para a acção construtora, ou se para a inacção conservadora...

20 setembro 2009

Rvcc

Goste-se ou não, o mestre Sócrates conseguira o que nenhum outro ousara sequer tentar conseguir. Isto é, transformar pela mágica do RVCC um cidadão com apenas a quarta classe num cidadão com o 12º ano num abrir e fechar de olhos. Os números não mentem, e o aumento é exponencial, brutal. Os historiadores do futuro vão ter algum trabalho na análise dos dados, uma vez que em 2005 havia x cidadãos com o 12º, e no ano 2010 já havia x vezes x ao quadrado. Este aumento não se deve como seria normal a um crescimento demográfico, mas a uma artimanha esquisita para granjear louros e ficar nas estatísticas, como um país culto e civilizado.
Se alguns não tiveram o oportunidade de estudar devido às circunstâncias vividas antes do 25 de Abril de 1974, e aos parcos rendimentos das famílias; é contra a lógica do saber, do estudar, do marrar, da competência intelectual, tentar transformar (e parece que está a conseguir) o nada em tudo!
-
Não digo mais porque isto já vai fastidioso, e pior ainda, pode provocar úlceras nervosas.
No entanto, alguns RVCC, vulgo Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências, podem muito bem vir a fazer algum jeito a um qualquer político, quadro superior de alguma empresa pública, que nesse ano de 2005 ainda não fazia parte das estatísticas. Convém frisar, que alguns ocupam cargos para os quais não têm habilitações técnicas e académicas necessárias ao desempenho eficaz da referida função - provavelmente por isso, o país não anda, e quando anda, anda devagar. Aqui neste particular, neste pseudo avanço, nem o RVCC consegue fazer magia...

15 setembro 2009

sade- feel no pain

Este video clip é dedicado ao governo socialista, ao senhor engº José Sócrates, bem como ao partido socialista, que diz ser democrático para fora...no entanto, para dentro? Fica a interrogação...

Gato fedorento

O gato fedorento no seu regresso com vamos "esmiuçar" sufrágios, parece que no primeiro programa pôs o tapete vermelho ao senhor engenheiro Sócrates, na medida em que promoveu a imagem do primeiro ministro, qual campanha dissimulada, promoveu também uma imagem de aproximação do primeiro ministro com as massas, no sentido de que este é capaz de "enfrentar" os gatos maldizentes e conseguir rir-se ainda por cima. Só não viu quem não quis...e a política e a pseudo comédia é disto feita, viva a alegria e toda a farsa pseudo democrática...

10 setembro 2009

Queen "Show must go on"

Ouvir com muita atenção.
Aproveitem a musica como primeiro remédio para o emotivo, depois solidifiquem a razão com conhecimento...

06 setembro 2009

Política

Não sei quem foi o autor deste trabalho. O que sei é que fê-lo convicto de que as realidades social, política e económica andam lá perto. Também não sei se o povo merece melhor, isto é, em cada esquina ouve-se o povo a maldizer, mas na hora do voto...a escolha recai sempre nos mesmos. Mesmo na pobreza o povo é incapaz de se mover, de querer ser melhor, ter mais, ver mais além. Em vez disso refugia-se na esmola do sistema liberal democrata, o chamado rendimento de inserção social, que não é mais do que um deixa-te estar assim, sem te preocupares muito, que alguém há-de pagar...enfim...

03 setembro 2009

Não ser nada...

"A preguiça, a cobardia, levam uma multidão de espíritos a permanecerem menores ao longo de toda a sua vida"
-
Paul Hazard

24 agosto 2009

DGS...

Voltem polícias do antigo regime, entenda-se, Estado Novo.
-
Polícia Especial de Informações (Lisboa):
Decreto nº 12972 de 16 de Dezembro de 1926
-
Polícia Especial de Informações (Porto):
Decreto nº 13342 de 26 de Março de 1927 e Decreto nº 14143 de 11 de Agosto de 1927
-
Polícia de Informações:
Decreto nº 15195 de 17 de Março de 1928 e Decreto nº 20033 de 3 de Junho de 1931
-
Polícia Internacional Portuguesa:
Decreto nº 20125 de 28 de Julho de 1931
-
Polícia de Defesa Política e Social (P.D.P.S):
Decreto nº 22151 de 23 de Janeiro de 1933
-
Polícia de Vigilância e Defesa do Estado (P.V.D.E.):
Decreto-Lei nº 22992 de 29 de Agosto de 1933
-
Polícia Internacional e de Defesa do Estado (P.I.D.E.):
Decreto-Lei nº 35046 de 22 de Outubro de 1945
-
Direcção-Geral de Segurança (D.G.S.):
Decreto-Lei nº 49401 de 24 de Novembro de 1969. Decreto-Lei nº 368/72 de 30 de Setembro de 1972
-
Só faltam aqui as actuais...quantas são? (:

23 agosto 2009

Democratizar a cultura

Um dos problemas inerentes a cultura para todos reside no facto de nem todos terem dinheiro para comprar a cultura. Alguns jornais já alimentam a ideia de cultura para todos, oferecendo livros. Esta medida não é contudo suficiente, não só porque comporta subjectividade na oferta de temas previamente escolhidos, como chega a um público que ainda tem um défice muito grande em termos culturais. Como se não chegasse, a ausência de conhecimento deriva também da falta de dinheiro ou falta de tempo para alimentar convenientemente a cultura.

16 agosto 2009

Dinheiro

Diz-se comummente que o dinheiro não trás saúde. Mas o contrário não é menos verdade. Não ter nenhum dinheiro também não dá saúde. Pior ainda, a falta de dinheiro pode ser fatal no socorro urgente a uma qualquer doença.
Se falamos assim da falta de dinheiro a propósito da saúde. Podemos muito bem ir mais longe, e transferir o âmbito da importância do dinheiro para outras necessidades contemporâneas.
O económico, ou se preferirmos, a economia doméstica também não foge há necessidade de dinheiro.
Se o dinheiro não trás felicidade. A falta dele também não dá nenhuma. Muito menos quando dele se tem urgência para socorrer as necessidades domésticas.
Todo o palavreado em prol da pobreza não passa de uma falsa segurança pessoal, doméstica e comunitária.
-
Contudo, como já vimos, se a falta de dinheiro pode fazer perigar a saúde física e doméstica. Pode por outro lado, e aqui deixa-se o problema para análise de especialistas, afectar o psicológico, e tudo o que lhe estiver associado.
-
Façam uma reflexão sobre ter e não ter. Sobre o poder adquirir ou não determinado bem. Sobre o tempo que medeia o desejo ou necessidade básica e o acto de posse.
-
Analisem as necessidades básicas do homem contemporâneo, tais como: alimentação, vestuário, saúde e educação.
Depois de uma análise cuidada sobre cada uma, digam qual preferem glorificar. Se a pobreza ou a riqueza?
-
O objecto de análise são vós mesmos no vosso percurso diário enquanto vivos.

09 agosto 2009

Xutos e Pontapés - Sem Eira nem Beira

A letra desta canção é um retrato fiél do banditismo dos poderosos. Quem não luta ou simplesmente baixa os braços, não merece a comida que tem em cima do prato...

28 julho 2009

Gripe A

Escrevo-o para que fique bem escrito. Muito me engano ou este país vai perder o combate face à gripe A. Digo-o, porque pressinto que os governantes, mais directores de primeira linha andam por aí a brincar aos arranjos florais. Ainda ninguém conseguiu explicar o que acontecerá se houver um surto num qualquer hospital de primeira linha. Se houver um surto nos serviços de segurança, entenda-se, secretas, forças de segurança, protecção civil, INEM, bombeiros, serviços públicos, etc., etc.
-
Como se não chegasse, o cidadão que trabalha, se por mero acaso contrair a gripe da moda, tem apenas 65% do salário que estiver a auferir na altura. Assim, resta-me dizer que por mim, se apanhar a dita gripe, irei trabalhar com todo o gosto e contaminar aqueles que mais tenho estima - coisas de Deus!

18 julho 2009

Tribunal de Contas

-
Afinal para que servem os relatórios de auditoria do Tribunal de Contas, se logo no dia seguinte, senão no próprio dia, são postos em causa pelo poder político. Aquele que nas urnas se comprometera a gerir o bem comum ou o que isso possa significar para o povo, entendido aqui como a totalidade dos residentes no território nacional.
O problema reparte-se de vários modos, isto é, temos o problema a nível do tribunal que não é tido como entidade que tenha aos olhos do povo influência suficiente para o levar (povo) a abrir o olhos. Segundo, vemos o poder político ficar melindrado com as questões pertinentes levantadas pelo tribunal, mas que logo se apresa por intermédio da comunicação social a informar a opinião pública que afinal a coisa não é assim tão má. Terceiro, e para finalizar, temos o dito povo, que após explicação toma o lado do mais forte, o que significa que está do lado do político, aquele que ele (povo) inveja, não compreende, diz mal, mas que volta sempre a depositar nele (político) a confiança cega de quem não quer ver a realidade que lhe passa diante dos olhos. Assim, não só não vê, como continua a hipotecar o seu futuro, isto porque já abdicara de confrontar o político com a verdade...Aquela que ele (povo) deveria ouvir mas que o político se recusa a dar-lha!!!

28 junho 2009

Tot em Paris II


Meus fiéis amigos do planeta terra, esta vida é uma passagem, portanto, há que viver, partir para o conhecimento. Entenda-se de novas culturas. Só a sã comparação nos faz melhores, diferentes, altivos, seres cujo único objectivo é aprender a saber viver enquanto vivos. Toda a outra ladainha é treta. Apenas se destina a confundir, a desmoralizar, a criar derrota. Mas como somos seres diferentes, vamos para a luta, de olhos postos no inimigo, sem medo nem temores, sem virar as costas, sempre olhos nos olhos, de cara levantada, numa atitude intrépida, de quem sabe o que quer, para onde vai, e quais as suas prioridades...

27 junho 2009

Tot em Paris


Vista a partir de Notre-Dame. Na fotografia de cima (ampliada), pode-se ver a Torre Eiffel, o Arco do Triunfo, La Défense, e claro, logo à frente dos olhos, o rio sena.

20 junho 2009

Férias...e razão de Estado

O Tot ainda continua a ouvir outros fiéis, estes outrora pertencentes ao reino do Algarve. Como deus pagão, vejo este país entrar num marasmo intelectual, económico, social, e cultural. O pseudo desígnio nacional já nem serve para unir, apenas para provocar emoção nostálgica, não do que fomos mas do que poderíamos ter sido.
O que é preciso em primeiro lugar: é saber porque razão, alguns cargos de interesse nacional, estão nas mesmas mãos desde o vinte e cinco de Abril. Entenda-se aqui, não só a mesma pessoa, singular, mas a sua extensão, isto é, a passagem do cargo ao descendente. É estranho esta forma de agir democrática, se pensarmos que ela fora inicialmente instituída para enaltecer a diversidade em detrimento da tradição monárquica. Esta razão de Estado, deve ser investigada pelo poder judicial. Porque se existe livre acesso aos cargos do estado, qual será a oculta razão de estes estarem nas mãos das mesmas famílias, que, diga-mo-lo sem medos, ainda não deram provas da sua real devoção ao Estado, a não ser nos cargos que ocupam. Se o poder judicial precisa de uma denúncia para agir, treta, visto haver no Estado mecanismos de defesa contra os usurpadores, aqui tem uma denúncia, não pessoal, como eles tão bem gostam, para se escudarem nas costas do outro, mas uma denúncia bem precisa, quer dizer, histórica, que não deixa margens para dúvidas.
Esta primeira razão deve ser claramente explicada ao cidadão, sob pena de no futuro, esta servir para por em causa aqueles que do mesmo modo o fizeram com quem os precederam.
-
Estarei sempre atento, sempre omnipresente. Bem sei que quem fala nas costas, cala na frente. Que quem denegri-de, diz que diz, que difama, não é Homem, mas um moço, um bobo que apenas serve de joguete a voos mais altos de quem dele se serve...
-
Mas mesmo esse, será desmascarado, porque o que me move, não é o interesse deles, mas a aproximação à verdade Histórica, aquela que deve ser digna de ser mencionada nos manuais do futuro!

15 junho 2009

Férias

O Deus encontra-se de férias profissionais.
Este ano, como é crise, achei por bem fazer três em um, tipo triângulo turístico, primeiro cidade das luzes, entenda-se Paris, que não me canso de a visitar, depois Albufeira, e para finalizar, Lisboa.
O Tot também precisa de conhecer outros fiéis...Outra gente, outros afazeres.
-
Não se esqueçam de dizer não sempre que tal for necessário.
Tenham umas boas férias, e não se esqueçam de rezar em Meu nome. Amém

08 junho 2009

Eleições

A Europa foi a votos neste último fim de semana. Nós por cá, fomos a votos no domingo. Quer dizer, só uma pequena percentagem do povo é que foi sufragar. E porquê? Porque já não acredita nas promessas ocas e mentirosas dos políticos. Contudo, este crescente desinteresse tem um objectivo oculto muito interessante, isto é, apenas visa afastar os cidadãos dos poder político, criando um divórcio quase vitalício. O sentido, ou se se preferir o objectivo, radica nesta fórmula simples: o aumento do número de desinteressados varia na razão directa dos interessados, o que significa, que o divórcio de uns face a política, deixa o caminho aberto a outros. Senão vejamos, numa análise de fácil compreensão. Se eu, hipoteticamente, concorrer a um cargo público onde estejam a concorrer mais 100 candidatos, com certeza que será mais difícil e terei menos hipóteses se os candidatos forem 1000 ou 10000, e assim por diante. Mais uma vez, este divórcio forçado, não é mais do que uma tentativa desesperada de quem se serve da totalidade dos cargos públicos, e que dizem a quem também deseja um cargo, que não vale a pena tentar, que já estão todos atribuídos. É assim caros amigos, senão analisem por vós quem está a onde???

02 junho 2009

Criação

Faz hoje precisamente quatro anos que o Deus criou. É esse ser, que tempera por vezes, a fúria do Deus. O significado da vida, vai para além da tentativa desesperada de entendê-la. Ela faz-se cada novo dia, cada novo segundo. Se existe prémio para quem sabe vivê-la, também existe para aqueles que no dia a dia não viram as costas aos problemas, não viram as costas às dificuldades, nem se escondem na ladainha do: eu tenho família, não tenho tempo, não vai dar em nada. Ser recto, não vergar, não está ao alcance de muitos; poucos são aqueles, que resignadamente, intrepidamente, olham os inimigos nos olhos, poucos são aqueles que ficam na história, poucos são aqueles que colhem, passados tormentos, a glória após infâmia, difamação, e cobardia. Esses poucos, deixam na prole o orgulho do que foram, do que representaram para o resto da humanidade, esses poucos, são os faróis que permitem que os outros não se percam...

27 maio 2009

Dia D

Cada um tem vários dias D's ao longo da sua vida, uns dias D's sociais, políticos, económicos, profissionais, e outros que agora não interessa aqui mencionar. O importante é não se deixar vergar. É olhar com os olhos da convicção os inimigos. Aqueles que no dia a dia da vida, apenas desejam engordar o seu ego. Mas como na natureza tudo é cíclico, o que a natureza dá também tira, nem mais nem menos. E digo-vos, palavra de Deus, que em alguns hei-de recusar contribuir para a "palma"...e mais não digo!

25 maio 2009

Inveja

Neste doce país a beira mar plantado, a inveja anda de mãos dadas com a difamação e o diz que diz, como se os ditos que ficam no ar, ficassem para a história. A mesquinhez, a estreiteza de horizontes, e a falta de uso dos neurónios: provoca sonolência, um seguir cego, e ervas daninhas nos cacos meios ocos dos sem sentido...e mais não digo!

17 maio 2009

O código da inteligência

Obra muito interessante, que por acaso estou a ler, devido a necessidade intelectual de desviar a leitura da História, que consome agora, grande parte do meu tempo terreno como Deus...

14 maio 2009

Serviços secretos

-
Se é que já não tem uma, como seria normal, dada a complexidade de relações de poder, e outros que existem no seio da organização, e na relação que mantém com o poder e não só.
Só a ingenuidade da ignorância, avalia esta situação com alarmismo, pois os segredos no mundo de hoje, são moedas de troca nos confrontos de poder. Só uma mente adormecida, é que não vê para além palmo e meio...e mais não digo...

27 abril 2009

Estado...

O D. Nuno já está a fazer-nos muita falta. Agora, não são apenas espanhóis que devemos combater, o combate, esse, estende-se para além do nacional, isto é, até aqui temos que travar constantes batalhas, não só pela honra, verdade, e justiça, como: pela dignificação do nome, da palavra dada, e do exemplo a seguir. Mais tarde ou mais cedo, não o sei muito bem, iremos ser convocados a travar a batalha decisiva, e aí, iremos ver definitivamente, quem ainda se encontra de pé, não a pregar fórmulas passadas, mas a suportar o peso do fardo presente...E mais não digo!

15 abril 2009

Conjuntura internacional

Dizem os entendidos, ou os desentendidos, mais Banco de Portugal à mistura, que só sairemos da crise quando a Europa, EUA, e companhia saírem. Esta análise, só por si, qualifica quem a profere. Mais, faz desse, ou desses mostrengos, homens doutos, homens conhecedores dos meandros económicos internacionais. É o desemprego a aumentar, o défice a crescer, as exportações a cair, o investimento estrangeiro estagnado, o nacional público e privado a meio ou nenhum gás, e o que há, só para amigos e companhia. Enfim, é disto que temos, é com isto que temos de viver, com políticos medíocres, instituições muito fracas, geridas por amigos do partido, que nem fazer contas sabem, e lá têm que ir tirar um curso à presa. Pois o cargo para o qual foram nomeados, era só para quadros superiores, com diploma, atestado por uma Universidade idónea. Este é o país real, feito de inveja, de mesquinhez, por gente impreparada, tacanha, triste, que no entanto, consume a riqueza que se produz no estado. Pois são eles que no dia a dia sugam com os seus salários de administrador público e não só, o produto do suor de quem, efectivamente trabalha. Se é isto que querem, continuem a baixar as calças, a dizer amém, a sorrir, a falar nas costas, a dizer sim à farsa. Se pelo contrário, querem um outro país, muito mais interessante do que este, só vejo uma solução, a saber: tomar pela força o poder, e impor sem medos e paliativos, o rigor que se deseja no seio do estado. Confúcio, tinha um lema: animai os bons e afastai os maus. O que está para além desta formula é mer...

10 abril 2009

Mensagem de páscoa...

Se o dinheiro que está a ser aplicado para salvar a banca fosse canalizado para o cidadão, deixaríamos de ver pobreza, descontentamento, endividamento, infelicidade, apatia, desconforto, desgosto, indiferença, etc.
Todavia, este dinheiro que muita falta faz ao comum dos mortais, não se destina só a suster a queda da banca, vai mais além, isto é, permite a continuidade do sistema, do liberalismo sem freios, do capital sem rosto, da ideologia única democrática. Se se deixasse cair a banca, era o mesmo que sentenciar o fim da ideologia democrática, e de tudo o que ela comporta, logo, pode tudo ruir num estado, pode até a economia perecer aos poucos, o que não pode é não haver banca, dívidas...e tudo o que lhe está associado.
Meditem neste mantra, e aproveitem a época santa para reflectirdes sobre o engano, a mentira diária, sobre a falsidade ideológica democrática posta em causa nesta crise de excesso...

05 abril 2009

Crise...

A crise internacional, quer dizer, a crise globalizada, é essencialmente uma crise dual, isto é, primeiro, é financeira, por haver muita gente a roubar e a depositar em paraísos fiscais. Segundo, por a produção não visar a procura mas o "estoque". O que significa, que se produzia, não para repor uma percentagem mínima necessária de estoque, mas, produzia-se para um estoque absurdo, com percentagens elevadíssimas que o mercado actual não consegue escoar.
-
Bem fizemos nós, portugueses, que produzíamos pouco...e ainda o continuamos a fazer...
-
Se a produção de bens não visar a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos, que irão usufruir desses bens, então, para que serve produzi-los em quantidades desnecessárias?

02 abril 2009

Crise

Estão reunidos em Londres, os países que compõe o já famoso G20. Vamos ver se as medidas são avulsas ou se são medidas destinadas a todos. A regulação da banca mais parece uma fábula. Neste teatro diário, neste entreter de gente, quem ganha são os políticos. O logro democrático, a ilusão da igualdade, da fraternidade, começa finalmente a ser posta em causa. Quem ainda acredita, que ponha o dedo no ar, ou que fique sem ele!

30 março 2009

Crise

O mantra da crise parece imparável. Como se tudo reduzi-se à crise, ou se a crise fosse tudo. O que é preciso: é trabalho, é inovação, deixar de lado as lamurias, o desalento, o olhar para o chão, como se o amanhã não chegasse. O que é preciso: é olhar para a frente, enfrentar a crise, olhar os inimigos olhos nos olhos. Não ter medo da vida nem dos diz que diz, aqueles que são o verdadeiro entrave para o desenvolvimento. Portanto, alegra-te, sê tu mesmo, e manda à mer... os falsos e mentirosos que por aí vegetam.

23 março 2009

Pergunta...

Para onde caminhamos como país? Se é que caminhamos para algum lado, ou se o governo, estado, tem alguma finalidade na sua estratégia de executivo, no que diz respeito ao sentido, rumo que o país deve tomar. Espero para ver. Espero que o espectáculo passe, se é que irá passar, visto o povo gostar mais de privar com a mentira do político do que a verdade do privado...

10 março 2009

Taxas de desemprego

Mais uma vez, o povo assiste impávido e sereno à publicação dos números de desemprego, por região. Temo que a mentira comece a ser um sinal distintivo do aparelho de estado. Apresentam-se taxas de desemprego, completamente surreais, como se o povo fosse burro (ou o será). O português, é quase obrigado, se quiser um melhor nível de vida, a migrar e a emigrar. Deixando para trás a região natal desertificada, sem sentido, nem futuro. E que nos dizem os números, as taxas, meras percentagens sem significado algum, que nem dão para indignar. Mas se assim fosse, que necessidade haveria por parte do estado em fechar nessas mesmas regiões, serviços até agora indispensáveis as populações autóctones (serviços criados no tempo da ditadora). E agora estamos em democracia, que rica democracia...

09 março 2009

Portáteis

Os computadores portáteis tiveram, na nossa economia, um aumento de vendas em 85%, só em 2008, ano da tão proclamada crise.
Claro que é tudo uma questão de prioridades, ou então de falsidades, isto é, ou os portáteis são muito necessários para o bem comum e não só, ou a crise não é para todos. Quer dizer, apesar do galopante desemprego, apesar da mentira da crise, a verdade é que cada vez mais, alguns ganham cada vez mais, traduzido em miúdos, é que, com a introdução de objectivos, veio de certa forma engrossar o salário de alguns, logo, sempre dos mesmos, aqueles que já ganhavam melhor, e que conseguem comparar um qualquer portátil a pronto, ao contrário da maioria que os comprou, ou ainda os está a comprar...

04 março 2009

Clio

Clio - musa da história
-
Para os mais distraídos , aqueles que almejam apesar da sua distracção, serem os futuros senhores, aqui deixo duas citações:

Saber quem é o Estado é saber em proveito de quem esse Estado trabalha.

O facto de o grupo que se confunde com o Estado confundir o interesse geral com os seus interesses de grupo, é simultaneamente inevitável e anódino.
-
CHAUNU, Pierre, A Civilização da Europa Clássica, Editorial Estampa, Lisboa, 1993, vol. I, pp. 49-50

24 fevereiro 2009

Desemprego

O desemprego continua a galopar, sem freios nem medidas pro activas, destinadas a minimizar os danos provocados no tecido social e económico. Contudo, logo se apressa um menino do partido do governo a justificar o aumento com a crise económica mundial, e que o governa já estava a espera, isto é, a espera para poder dizer que a culpa é dos outros, daqueles que fazem dinheiro sem o haver, como se por aqui não se praticasse a mesma trama. Enfim, a culpa é sempre externa, alheia ao deixa andar, ao onde fores ter faz o que vires fazer, como se o mau exemplo servisse de justificação para a inercia. É com políticos deste quilate que lá vamos, ai vamos, vamos, só não sabemos para onde?

22 fevereiro 2009

Torres Novas



No dia sete de Fevereiro, ocorreu em Torres Novas, intra muros do castelo, um almoço memorável destinado a aproximar os historiadores e aprendizes do mesmo ofício. Não há nada como nos sentirmos em casa fora da nossa, e num castelo onde a história ecoa em cada pedra, essa máxima atinge o zénite. A história tem destas coisas...

20 fevereiro 2009

Acrópole

Chegou-me as mãos uma oferta de inegável valor, o número dois da revista Acrópole, segunda série. A primeira série contou com setenta e três números. A par dos excelentes textos, a apresentação gráfica, bem como a qualidade do papel, são efectivamente uma mais valia deste nova série.

16 fevereiro 2009

Pensamento

Este pensamento destina-se a todos aqueles, para quem a erudição, a academia, é uma coisa abominável. Talvez advenha daí a nossa inclinação para a falta de conhecimento. O que há: é medo de aprender com quem sabe mais do que nós, e aí reside o verdadeiro problema, pois quem abomina o saber, esconde-se sob a capa do já sei tudo, mas que na realidade é de medo que se trata, e ainda por cima, algumas almas, que têm como máxima o menor esforço, esperam poder vir a serem os líderes do amanhã, enfim...Este pensamento simples pretende figurar na história do pensamento português: Sabe bem Saber!

11 fevereiro 2009

Sociedade

O estado português sempre vai entrar em bancarrota, ou a classe média é que vai ficar na bancarrota?

06 fevereiro 2009

Transparência

O povo português que ainda acredita em justiça, ou dito de um outro modo, que ainda acredita na bondade dos governantes: só terá verdadeira justiça quando duas mãos cheias de políticos estiverem atrás das grades, não um ou dois minutos, mas anos consecutivos de prisão efectiva. Tudo o resto é brincadeira para entreter crianças ou adultos alimentados à base de entretenimento massivo. Porque independentemente do que pensamos ser a política ou os políticos, coisa diferente, é a política que nos governa, boa ou má. Contudo, o que se pretende ao afastar os cidadãos da política, é fazer com que eles fiquem indiferentes à política, logo, aos centros de decisão onde eles (cidadãos) devem ter assento. Assim, o caminho fica livre para que meia dúzia de piolhosos possam a seu belo prazer, por e dispor da massa crítica de toda uma sociedade que apenas amua e critica intra muros, isto é, dentro de casa, como se os de casa tivessem culpa do que se está a passar lá fora. Logo, acorda Homem, levanta-te, critica, sai à rua, reclama o que é teu. Não deixes que meia dúzia de piolhosos decidam por ti! Arma-te! Arma-te essencialmente de sabedoria, que é aquilo que eles abominam, por serem piolhosos, e por serem, na maioria, gente inculta (mas que governa) e impreparada para decidir do teu futuro. Se adias a decisão adias o teu futuro, e dos teus, e os políticos medíocres continuam a rir, a brincar ou a fazer que governam, quando na verdade, apenas se governam! Agora mandem cá as secretas, que como Deus que sou, posso bem com elas todas juntas...

03 fevereiro 2009

Slogan

Se tens mais de 40 anos, és novo de mais para a reforma, e velho para trabalhar, resta-te o desemprego. Mas se desejares outro futuro, escolhe a revolta contra este mundo moderno, e junta-te ao Deus...Juntos venceremos!!!

30 janeiro 2009

Alea jacta est

Disse em tempos, que não me importo de encabeçar a revolta, apesar de conhecer os malefícios do mito de Saturno...

29 janeiro 2009

Crise...

Agora que a democracia está a cair em descrédito. Agora que o capitalismo selvagem está moribundo, é tempo de revolução, é tempo de abrir caminho para a luta directa, sem medos. É tempo de dizer basta. Aproveitar o momento, aproveitar o desanimo geral em proveito revolucionário. Se não for feita agora, tão cedo não haverá outra oportunidade!

27 janeiro 2009

Deriva...e atraso

Continuamos no pelotão da frente, só que no fim desse pelotão. A deriva e o atraso ainda se vão acentuar muito mais nos próximos dias. Este país parece caminhar para o abismo, para o desemprego colectivo, enquanto que os políticos parecem estar alheios face aos problemas, e com olhos apenas para as suas barrigas...
Viva a democracia e o dito capital que nos levaria sempre para à frente e para cima...

23 janeiro 2009

Desemprego

É sabido que por esse país fora, as empresas então a reduzir efectivos, a despedir, a fechar portas, a deslocalizar, a tentar fugir para locais ditos mais seguros do ponto de vista fiscal.
É também sabido, que este novo ano vai ser um ano mártir para o desemprego, para as milhares de famílias que se verão privadas de sustento, em alguns casos, do sustento da totalidade da residência. E que faz o governo? Basta ver uma medida inscrita na campanha de excelentíssimo primeiro ministro: casamento civil para homossexuais, como se a prioridade social, de pão para a boca, fosse casar pelo civil cidadãos do mesmo sexo. Enfim, por este andar, não só irá crescer o desemprego, como o país, temo-o, entrará não em recessão, mas em falência, não técnica mas real!!!

14 janeiro 2009

Sociedade da mentira...

Lembrei-me deste título muito simpático, porque a sociedade portuguesa é quase toda ela mentira, quer dizer, desde o topo da pirâmide até a base, que a mentira é tida como a melhor das verdades, se tivermos em linha de conta que o fim justifica qualquer meio. 1º exemplo: desce o barril de petróleo - sobe preço de combustíveis. 2º exemplo: desce a taxa de juro para valores ditos históricos, a prestação da casa permanece quase na mesma. 3º exemplo: o país está a "descambar", a perder o rumo - o governo sempre arrogante, diz-se salvador da pátria. 4º exemplo: a crise da construção veio para ficar - que faz o governo: inventa uma lei que permite as autarquias o ajuste directo de qualquer obra até 5 milhões de euros. Enfim, este é um país de merda, de mentirosos, de pseudo moralistas que não têm vergonha na cara.
Disse em tempos que o país precisava de uma revolução, e temo que tenha que encabeçar uma, porque já estou a ficar farto desta gente, destes políticos, destes portugueses invejosos e sempre prontos a difamar os vizinhos. Sejam pelo menos uma vez na vida honestos, senhores do seu nariz. Digam não aos políticos mentirosos. Sejam homens, verdadeiros Homens, aqueles que a história costuma proteger!

06 janeiro 2009

Formula

Animai os bons e afastai os maus
-
Tudo o que está para além desta formula, resulta em menos qualidade mas em muita quantidade...

05 janeiro 2009

Guerra de mentira...

Esta guerra a calhar do médio oriente, veio dar uma grande ajuda aos governos do ocidente, aqueles onde se iniciou, também uma crise criada, que depois lhe perderam o rasto, qual governo que cai na rua, todos tentam ser, os maiores senhores perante a crise, que tudo resolvem, e no entanto, o desemprego esta aí, com igual crescimento da criminalidade, que o governo teima em não ver.
-
Este ano de 2009, vai ser o um ano de desemprego, de criminalidade, e de revoltas sociais...e eu estarei cá na terra para assistir a tudo isto, e ajudar a escrever a História!
-
Aos meus amigos - os verdadeiros, os que ainda rezam ao Deus, um BOM ANO!!!