09 março 2009

Portáteis

Os computadores portáteis tiveram, na nossa economia, um aumento de vendas em 85%, só em 2008, ano da tão proclamada crise.
Claro que é tudo uma questão de prioridades, ou então de falsidades, isto é, ou os portáteis são muito necessários para o bem comum e não só, ou a crise não é para todos. Quer dizer, apesar do galopante desemprego, apesar da mentira da crise, a verdade é que cada vez mais, alguns ganham cada vez mais, traduzido em miúdos, é que, com a introdução de objectivos, veio de certa forma engrossar o salário de alguns, logo, sempre dos mesmos, aqueles que já ganhavam melhor, e que conseguem comparar um qualquer portátil a pronto, ao contrário da maioria que os comprou, ou ainda os está a comprar...

Sem comentários: