10 março 2009

Taxas de desemprego

Mais uma vez, o povo assiste impávido e sereno à publicação dos números de desemprego, por região. Temo que a mentira comece a ser um sinal distintivo do aparelho de estado. Apresentam-se taxas de desemprego, completamente surreais, como se o povo fosse burro (ou o será). O português, é quase obrigado, se quiser um melhor nível de vida, a migrar e a emigrar. Deixando para trás a região natal desertificada, sem sentido, nem futuro. E que nos dizem os números, as taxas, meras percentagens sem significado algum, que nem dão para indignar. Mas se assim fosse, que necessidade haveria por parte do estado em fechar nessas mesmas regiões, serviços até agora indispensáveis as populações autóctones (serviços criados no tempo da ditadora). E agora estamos em democracia, que rica democracia...

Sem comentários: