28 junho 2009

Tot em Paris II


Meus fiéis amigos do planeta terra, esta vida é uma passagem, portanto, há que viver, partir para o conhecimento. Entenda-se de novas culturas. Só a sã comparação nos faz melhores, diferentes, altivos, seres cujo único objectivo é aprender a saber viver enquanto vivos. Toda a outra ladainha é treta. Apenas se destina a confundir, a desmoralizar, a criar derrota. Mas como somos seres diferentes, vamos para a luta, de olhos postos no inimigo, sem medo nem temores, sem virar as costas, sempre olhos nos olhos, de cara levantada, numa atitude intrépida, de quem sabe o que quer, para onde vai, e quais as suas prioridades...

27 junho 2009

Tot em Paris


Vista a partir de Notre-Dame. Na fotografia de cima (ampliada), pode-se ver a Torre Eiffel, o Arco do Triunfo, La Défense, e claro, logo à frente dos olhos, o rio sena.

20 junho 2009

Férias...e razão de Estado

O Tot ainda continua a ouvir outros fiéis, estes outrora pertencentes ao reino do Algarve. Como deus pagão, vejo este país entrar num marasmo intelectual, económico, social, e cultural. O pseudo desígnio nacional já nem serve para unir, apenas para provocar emoção nostálgica, não do que fomos mas do que poderíamos ter sido.
O que é preciso em primeiro lugar: é saber porque razão, alguns cargos de interesse nacional, estão nas mesmas mãos desde o vinte e cinco de Abril. Entenda-se aqui, não só a mesma pessoa, singular, mas a sua extensão, isto é, a passagem do cargo ao descendente. É estranho esta forma de agir democrática, se pensarmos que ela fora inicialmente instituída para enaltecer a diversidade em detrimento da tradição monárquica. Esta razão de Estado, deve ser investigada pelo poder judicial. Porque se existe livre acesso aos cargos do estado, qual será a oculta razão de estes estarem nas mãos das mesmas famílias, que, diga-mo-lo sem medos, ainda não deram provas da sua real devoção ao Estado, a não ser nos cargos que ocupam. Se o poder judicial precisa de uma denúncia para agir, treta, visto haver no Estado mecanismos de defesa contra os usurpadores, aqui tem uma denúncia, não pessoal, como eles tão bem gostam, para se escudarem nas costas do outro, mas uma denúncia bem precisa, quer dizer, histórica, que não deixa margens para dúvidas.
Esta primeira razão deve ser claramente explicada ao cidadão, sob pena de no futuro, esta servir para por em causa aqueles que do mesmo modo o fizeram com quem os precederam.
-
Estarei sempre atento, sempre omnipresente. Bem sei que quem fala nas costas, cala na frente. Que quem denegri-de, diz que diz, que difama, não é Homem, mas um moço, um bobo que apenas serve de joguete a voos mais altos de quem dele se serve...
-
Mas mesmo esse, será desmascarado, porque o que me move, não é o interesse deles, mas a aproximação à verdade Histórica, aquela que deve ser digna de ser mencionada nos manuais do futuro!

15 junho 2009

Férias

O Deus encontra-se de férias profissionais.
Este ano, como é crise, achei por bem fazer três em um, tipo triângulo turístico, primeiro cidade das luzes, entenda-se Paris, que não me canso de a visitar, depois Albufeira, e para finalizar, Lisboa.
O Tot também precisa de conhecer outros fiéis...Outra gente, outros afazeres.
-
Não se esqueçam de dizer não sempre que tal for necessário.
Tenham umas boas férias, e não se esqueçam de rezar em Meu nome. Amém

08 junho 2009

Eleições

A Europa foi a votos neste último fim de semana. Nós por cá, fomos a votos no domingo. Quer dizer, só uma pequena percentagem do povo é que foi sufragar. E porquê? Porque já não acredita nas promessas ocas e mentirosas dos políticos. Contudo, este crescente desinteresse tem um objectivo oculto muito interessante, isto é, apenas visa afastar os cidadãos dos poder político, criando um divórcio quase vitalício. O sentido, ou se se preferir o objectivo, radica nesta fórmula simples: o aumento do número de desinteressados varia na razão directa dos interessados, o que significa, que o divórcio de uns face a política, deixa o caminho aberto a outros. Senão vejamos, numa análise de fácil compreensão. Se eu, hipoteticamente, concorrer a um cargo público onde estejam a concorrer mais 100 candidatos, com certeza que será mais difícil e terei menos hipóteses se os candidatos forem 1000 ou 10000, e assim por diante. Mais uma vez, este divórcio forçado, não é mais do que uma tentativa desesperada de quem se serve da totalidade dos cargos públicos, e que dizem a quem também deseja um cargo, que não vale a pena tentar, que já estão todos atribuídos. É assim caros amigos, senão analisem por vós quem está a onde???

02 junho 2009

Criação

Faz hoje precisamente quatro anos que o Deus criou. É esse ser, que tempera por vezes, a fúria do Deus. O significado da vida, vai para além da tentativa desesperada de entendê-la. Ela faz-se cada novo dia, cada novo segundo. Se existe prémio para quem sabe vivê-la, também existe para aqueles que no dia a dia não viram as costas aos problemas, não viram as costas às dificuldades, nem se escondem na ladainha do: eu tenho família, não tenho tempo, não vai dar em nada. Ser recto, não vergar, não está ao alcance de muitos; poucos são aqueles, que resignadamente, intrepidamente, olham os inimigos nos olhos, poucos são aqueles que ficam na história, poucos são aqueles que colhem, passados tormentos, a glória após infâmia, difamação, e cobardia. Esses poucos, deixam na prole o orgulho do que foram, do que representaram para o resto da humanidade, esses poucos, são os faróis que permitem que os outros não se percam...