28 julho 2009

Gripe A

Escrevo-o para que fique bem escrito. Muito me engano ou este país vai perder o combate face à gripe A. Digo-o, porque pressinto que os governantes, mais directores de primeira linha andam por aí a brincar aos arranjos florais. Ainda ninguém conseguiu explicar o que acontecerá se houver um surto num qualquer hospital de primeira linha. Se houver um surto nos serviços de segurança, entenda-se, secretas, forças de segurança, protecção civil, INEM, bombeiros, serviços públicos, etc., etc.
-
Como se não chegasse, o cidadão que trabalha, se por mero acaso contrair a gripe da moda, tem apenas 65% do salário que estiver a auferir na altura. Assim, resta-me dizer que por mim, se apanhar a dita gripe, irei trabalhar com todo o gosto e contaminar aqueles que mais tenho estima - coisas de Deus!

18 julho 2009

Tribunal de Contas

-
Afinal para que servem os relatórios de auditoria do Tribunal de Contas, se logo no dia seguinte, senão no próprio dia, são postos em causa pelo poder político. Aquele que nas urnas se comprometera a gerir o bem comum ou o que isso possa significar para o povo, entendido aqui como a totalidade dos residentes no território nacional.
O problema reparte-se de vários modos, isto é, temos o problema a nível do tribunal que não é tido como entidade que tenha aos olhos do povo influência suficiente para o levar (povo) a abrir o olhos. Segundo, vemos o poder político ficar melindrado com as questões pertinentes levantadas pelo tribunal, mas que logo se apresa por intermédio da comunicação social a informar a opinião pública que afinal a coisa não é assim tão má. Terceiro, e para finalizar, temos o dito povo, que após explicação toma o lado do mais forte, o que significa que está do lado do político, aquele que ele (povo) inveja, não compreende, diz mal, mas que volta sempre a depositar nele (político) a confiança cega de quem não quer ver a realidade que lhe passa diante dos olhos. Assim, não só não vê, como continua a hipotecar o seu futuro, isto porque já abdicara de confrontar o político com a verdade...Aquela que ele (povo) deveria ouvir mas que o político se recusa a dar-lha!!!