09 março 2010

Democracia política...

Existe um propósito na vida que devemos observar, a saber: o da sobrevivência. Dito isto, devemos quanto antes fazer uma de duas coisas; ou acabamos com a democracia política, ou depuramos a democracia, antes que sejamos queimados no seu altar. Afirmo sem medo nenhum este meu propósito, a partir de uma análise fria dos acontecimentos, isto é, esta crise fora criada pela banca e pelos amigos bolsistas, precedida em muito pelas diversas deslocalizações operadas a ocidente, que criaram milhares de desempregados. Se é um facto que o produto final fica mais barato no acto da compra, a médio e longo prazo irá efectivamente ficar muito mais caro a nível social, político e económico, como se pode constatar pelas economias ocidentais actuais que se vêem as braços com desempregos recordes.
Sendo a democracia política apenas um braço político do capital sem rosto, que desfigura os estados sociais, então devemos sem lamurias partir para a luta armada, uma vez que esta se justifica pelo resgatar do estado ao capital.
A justificação para a luta, pode-mo-la ver na consecutiva alienação do estado, seja pelas empresas públicas, seja por intermédio da alienação do património arquitectónico. Sempre pela necessidade criada de consolidação das contas públicas.
É uma obrigação do cidadão crente em Deus, na vida e no propósito da existência, a luta sagrada, ou dito de um outro modo mais terra a terra, guerra santa. A partir deste momento, já não existe meios termos, ou se depura a democracia política, ou se liquida a dita...

Sem comentários: