04 maio 2010

Democracia da treta...

O governo da República Portuguesa fora empossado para governar todos os cidadãos da pátria. Essa responsabilidade de governação é devida ao povo. Portanto é ao povo que o governo deve prestar contas. No entanto, quando o povo critica o seu governo por má governação, este deve corrigir de imediato a sua acção. Fazer orelhas moucas ao pedido do povo deve ser tido como um desvio de acção governativa contra este, o que significa que o governo deixou de representar o povo. Dito isto, resta ao povo substituir com a maior brevidade o seu governante. Todavia, se o governante não aceder ao pedido do povo, tanto para governar para si, como para demitir-se, o povo, face a esta falta de sentido de Estado por parte do seu governo, deve de imediato por ao seu serviço as forças armadas, as polícias, e as secretas, no sentido de repor a ordem. Esta atitude do povo que é soberano, é excepcional, e só deve ser levada a uma práxis sempre que o estado esteja em perigo, o que é o caso. Neste sentido, justifica-se a demissão do governo, e se esta não se fizer pela lei, faz-se pelo uso devido e justificado da força.
-
Estarei sempre disposto a tomar em mãos o destino do povo...sempre!

Sem comentários: