15 julho 2010

Pensamento

No momento em que escrevo estas linhas, está o parlamento a debater o estado da Nação. E eu a pensar que todos os dias se debatia o estado da Nação, fim para o qual fora criado o parlamento. A não ser que seja mais uma ilusão democrática sobre a utilidade de tão sublime casa.
-
Como é que se pode debater o estado da Nação, se a verdade dos números não é apresentada? Ocultar esta verdade não é governar, é desenrascar. Tudo o que se dizer para além disto, redunda numa impossibilidade governativa.
Dois exemplos concorrem para formar esta inverdade. Primeiro, o orçamento da Assembleia da República para o ano de 2010 é de: 191405356,61 milhões de euros. Segundo, o valor dos custos conhecidos para a ligação Lisboa Madrid em TGV é de 421770000,00 milhões de euros.
Dados estes dois exemplos, podemos perguntar se para discutir o estado da Nação é preciso gastar tanto dinheiro? E se o valor do custo do TGV, mais o valor anual gasto na sua conservação, que ninguém ainda parece conhecer, justificam que se faça o TGV?
-
A verdade dos números, isto é, o valor real das receitas fiscais mais as previsões, devem ser conhecidas, devem ser disponibilizadas a todos os portugueses. As despeças do Estado devem figurar por rubricas bem definidas, e claras, por forma a conhecermos a verdade da despesa do Estado. O contrário é anti-democrático...

Sem comentários: