16 agosto 2010

País em chamas VI

Continuarei a escrever sobre o país em chamas, enquanto perdurar o combate aos fogos. O que já ardeu, dá para aferir do "grande" controlo dos fogos florestais. Está mais do que demonstrado, pelo menos no que diz respeito ao que está a suceder, que a prevenção, a existir, terá sido feita num outro ano que não este. O mesmo se pode concluir do combate propriamente dito, isto é, se não fossem algumas populações a defender os seus bens, o saldo trágico teria sido muito pior, o que significa que os meios são claramente insuficientes, dadas as circunstâncias geográficas e número de incidências. No entanto, a ANPC, deveria ter um plano de actuação para cada circunstância, isto é, deveria ter estudos sobre o que fazer se o número de ignições for superior aquele que supostamente está definido com sendo o razoável para os meios existentes. Pelo decorrer das últimas semanas, deduz-se que esse estudo não existe, o que significa uma vez mais que não há nenhum modo de actuação para um "ocasional" excesso de ignições.
Dito isto, ao menos a demissão de um ministro, de um secretário de estado, ou então a exoneração de um operacional, já serviria para contrabalançar a falta de meios...e afogar a inexistente prevenção...

Sem comentários: