12 setembro 2010

Desiguais no nascimento, todos somos iguais na morte. p.460
-
Socorro-me desta citação, extraída da intemporal obra de Lúcio Aneu Séneca, para desmontar o conceito de igualdade democrático que no dia-a-dia nos querem impingir. Isto é, como a igualdade é impossível de alcançar, por vários motivos, quer naturais quer artificiais, o homem que pensou o democrático, julgou ter descoberto a fórmula divina de igualdade, e então na sua sapiente sabedoria, lá disse: que éramos iguais, mas apenas perante a lei. Mas se existe realmente igualdade, que sentido haverá em acrescentar a lei. A lei serve apenas para dar apoio à igualdade, que é contrária à natureza. Dito isto, a lei associada à igualdade deixa de ter sentido, porque ela em si não existe, é só um produto dos homens que pensaram a igualdade, o que significa, que se erraram a propósito da igualdade, também o fizeram em relação à lei, que espelha não um bem absoluto mas um bem contingente...

Sem comentários: