22 novembro 2010

Segurança Social

No âmbito das medidas adoptadas pelo Programa de Estabilidade e Crescimento, o Decreto-Lei nº 116/2010, de 22 de Outubro, estabeleceu a cessação da atribuição do abono de família correspondente ao 4º e 5º escalões de rendimentos.
-
É com este parágrafo que ficamos a saber que deixamos de poder usufruir de abono de família. No entanto, o parágrafo omite, e muito bem, a incapacidade de o governo governar Portugal. Omite, e muito bem, um sem número de assessores que devem gastar mais ao país do que o abono de família. Todavia, o futuro do país pertence às novas gerações, enquanto que a figura do assessorado serve apenas para onerar as contas públicas.
-
Em suma, sucessivos governos mentem sobre as contas públicas, a segurança social retira um bem necessário às crianças e jovens, e os comentadores pagos a peso de ouro, com acumulação de vencimentos e pensões imorais, concordam com estas medidas inscritas no PEC de modo a formar a opinião pública qual fazedores de opinião de trazer por casa...

Sem comentários: