25 janeiro 2011

Eleições Presidenciais 2011 II

Mas grave do que a asneira da troca de número de eleitor, e consequente confusão caracteristicamente portuguesa, é o facto de haver eleitores à mais inscritos nos cadernos de recenseamento, senão vejamos, num olhar pelos números oficiais.
-
I - População portuguesa actual - 10.646.812
II - Grupo etário, dos 0 aos 19 anos - 2.190.833, dados de 2009
III - Eleitores recenseados - 9.371.653, números actuais
-
Se ao número de eleitores, adicionarem o grupo etário dos 0 aos 19 anos, verão que a soma dos dois, dão um número superior ao número real da população portuguesa actual. No entanto, devemos a este número, subtrair mais ou menos cerca de 100000 jovens, pois é o intervalo entre os dezoito e os dezanove (mais ou menos). O que não impede que continue a haver cidadãos a mais inscritos nos cadernos eleitorais. Podemos daqui deduzir duas hipóteses, ou os jovens já estão inscritos antes do tempo, ou o mortos continuam activos nos cadernos. Vamos mais para a segunda hipótese, que levanta de imediato duas questões, uma legal e uma administrativa. A legal deriva do facto de se saber porque existe um número de inscritos acima do desejável, e das devidas consequências para o dito processo democrático de eleição dos representantes do povo. O administrativo, é mais fácil, mas obriga a um conhecimento estatístico e demográfico, bem como do domínio de ferramentas consentâneas com a gestão da flutuação da população recenseada nos cadernos eleitorais.
-
Bem sei que alguns ditos doutores, foram formados na escola das oportunidades, aquela que qualifica quem não tem qualificação...

Sem comentários: