03 janeiro 2011

Mensagem de ano novo

Como prometido, irei falar da problemática existente entre o indivíduo e o Estado. Ou se preferirmos, o que pode o primeiro em relação ao segundo...
Poder-se-á afirmar sem margem para qualquer dúvidas, que o poder do indivíduo está a crescer, fruto de um saber mais técnico, computorizado, e assente numa história mais segura...
Afirmarão alguns que o indivíduo nada pode em relação ao Estado, a afirmação estava até à bem pouco tempo certa. Agora é relativa, e depende em boa parte da formação intelectual do indivíduo, do que ele poder realizar com a inteligência, com ou contra o Estado. Se precisarmos de exemplos positivos (sem necessidade de socorro dos negativos e ou terroristas), apenas enumeramos alguns que provam que o indivíduo já consegue pela inteligência estar acima do Estado. O motor de busca Google é um "pequeno" exemplo desse controle que escapa às garras do Estado. Mark Zuckerberg, ao fundar o Facebook, estava longe de imaginar que iria num tão curto espaço de tempo alterar as relações sociais de forma tão profunda e inexorável, sem que o estado conseguisse interferir, ou até mesmo travar a mudança social que está em curso. Um outro exemplo de inteligência individual que flutua acima do Estado é o caso paradigmático de Julian Assange, fundador do Wikileaks, site de informação que tem deixado a diplomacia e secretas incluídas num desespero contínuo e agonizante, sem saberem muito bem para onde se virarem...
-
O indivíduo, consciente da sua ferramenta intelectual, pode a qualquer momento suspender o funcionamento normal de um Estado, basta querer, isto é, ter a inteligência necessária para o fazer...
-
Neste momento presente em que escrevo, a única arma do Estado em relação ao indivíduo inteligente, reside apenas na lei; uma vez que já nem as forças da ordem acreditam lá muito no Estado que devem por dever defender...
-
Dito isto, a inteligência do indivíduo contemporâneo pode a qualquer momento mudar o curso da História...e mais não digo por ora...

2 comentários:

Carlos Portugal disse...

Caro Tot:

Faço votos para que tenha um Bom Ano, apesar das nuvens negras, pois um ano assim é sempre um ano de mudança, em que há oportunidade de destronar os tiranetes e demais ralé.

Abraço.

Tot disse...

Igualmente, excelentíssimo Carlos.
UM grande abraço