16 março 2011

Decadência


O estado em que se encontra este edifício, mostra bem como a cidade de Lisboa trata o património. Abandonado, emparedado, e à espera de cair. Não lhe dedicava um só linha de escrita se estivesse implantado num outro sítio qualquer da cidade, dita capital. Mas este lindo espécime encontra-se precisamente defronte do Panteão Nacional. Contudo, devemos considerar que o abandono nutre simpatia pela demora na construção do Panteão, Igreja de Santa Engrácia. Ou se preferirmos, obras de santa Engrácia, para caracterizar as obras que nunca mais acabam...tal e qual a similitude com as que nunca mais começam...
Honrem oh homens, de uma vez por todas, os dignos sepultados na morada eterna, pelo menos enquanto durar o edifício Barroco. Neo-clássico, tentativa última de dar grandeza à Igreja Romana, por intermédio de obras que suplantassem as dos hereges, dito de um outro modo, da dos protestantes...e mais não digo...

Sem comentários: