21 março 2011

Gestão danosa do património do Estado

Nos últimos anos, o Estado, ou se preferirmos, as famílias políticas e de sangue têm vendido o património do Estado, que é de todos, ao próprio Estado, por intermédio de empresas habilmente criadas para o efeito. Depois de consumada a venda, o Estado aluga o que outrora fora seu, por valores tão elevados, que o dinheiro da venda só chega para pagar a renda por um período de cerca de dez a quinze anos. Pior ainda, no orçamento do Estado, a dotação para rendas de edifícios que foram seus, estrangula as contas correntes de cada ministério, e ou empresa pública. Dito isto, não se percebe que apenas esteja a decorrer em tribunal apenas um caso de corrupção, que diz respeito a estes negócios, quando na verdade, a gestão destes senhores é de tal maneira danosa que bastaria analisar o antes e depois para se chegar a uma conclusão, e mais não digo, para não ficar aborrecido...
-
Todavia, dedico estas últimas palavras aos políticos de trazer por casa. Afirmando que o país já se encontra em crise política, em crise social, e em crise económica à muito tempo, portanto, não adianta mentirem neste ponto particular!!!

Sem comentários: