20 abril 2011

Democracia

O endividamento público, ou se preferirmos, o endividamento da quase totalidade dos cidadãos, incluindo empresas, bancos - porque também se endividam - empresas públicas e Estado, é produto de um modo de pensar particular, que advém do facto de o capital, isto é, o capitalismo, estar acima do sistema político, dito de um outro modo, estar acima da Democracia; o que significa, que o sistema político actualmente dito como o mais perfeito apenas existe porque convém ao capital.
Esta asserção não é teoria, nem tenta entreter o leitor com falsas esperanças, apenas e só pretende demonstrar o quão inconstante é a Democracia; ora tenta justificar-se com o pensamento positivo, afirmando um bem-estar geral sempre em crescendo, ora se subordina de forma incompreensível a uma economia mundo, que sem um modelo administrativo político eficaz cria muitos mais pobres do que ricos...
Não importa agora vaticinar sobre o futuro, nem pretendemos por enquanto fazê-lo, contudo citamos JAL em duas frases basilares: "A Democracia é o braço político do Capitalismo", e ainda "A Democracia é o império da opinião sobre o juízo". Podemos ainda ir mais longe para tentarmos de certo modo caracterizar o modos vi vendi do presente, isto é, sendo a democracia o império da opinião sobre o juízo, podemos deduzir que a opinião se sobrepõe ao juízo, podendo mesmo o pensamento assim tratado, sem fundamento, e sem juízo, cair na arrogância da ignorância. Talvez deste modo, possamos agora compreender o quão imprevisível é a Democracia. Pois ela deixa-se frequentemente governar pela inexperiência dos que sendo em maior número, justificam a vitória da opinião...

Sem comentários: