20 junho 2011

Democracia ilusória...

A existência de uma Democracia é tão falsa como a premissa que permite concluir que dois mais dois são cinco. Não existe Democracia, como não existe Estado; o que existe, são dois conceitos elaborados a partir de quem detém o poder de modo a permitir a continuação do dito sistema estabelecido. Existiria Democracia se o poder fosse efectivamente do povo; existiria Estado se a justiça que o sustém fosse universal, isto é, aplicada a todos de igual modo, independentemente da sua posição na sociedade, bem como a sua relação com o poder, portanto, o Estado contemporâneo apenas confirma o que está estabelecido, de modo a preservar o poder de meia dúzia, através do controlo coercivo do pensamento e da mobilidade social impostos a todos...

2 comentários:

Skedsen disse...

Como pode existir democracia quando democracia é o governo do povo? Mas para haver governo tem de haver governados, e assim sendo, como pode o povo ser governo e governado ao mesmo tempo?
Eis aqui uma falácia bem democrática. O próprio conceito em si é contraditório e mostra bem a fragilidade daqueles que falam em democracia por tudo e por nada. na verdade, todos os termos do demo-liberalismo estão infestados de incoerências que mais não visam a escravatura ou dulocracia.
Não é que eu seja contra a democracia, como ideia, embora na prática a coisa não funcione, ou funcione só para uns poucos, como bem sabemos. Ora, entre uma ditadura (embora eu não tenha vivido nenhuma, estou a viver na actual que é económica..) e entre uma democracia representativa só de uns poucos prefiro a ditadura. Porque só para ter liberdade de expressão e de voto, que não valem nada tem de se dizer que não haja ilusões, prefiro não ter liberdade de expressão nem direito a voto.
Lamento que muitos, para não dizer a grande maioria, não pense assim, e se contente com uma liberdade de expressão que é estéril e direito de voto que não passa de um legitimar do saque.

Tot disse...

Caro "Skedsen",
concordo porque já escrevera sobre a impossibilidade de haver completa transparência na ideia que diz que o governado pode ser amanhã governante, e depois novamente governado... enfim...

Devo dizer que não concordo com o facto de dispensar a liberdade, e aqui teríamos muito para falar, que outras alturas tornarão mais propícias...

Todavia, a liberdade de expressão é cerceada, na medida em que só se pode falar do politicamente correcto, ou então poderemos cair nas malhas dos defensores do que está estabelecido...

Cumprimentos