03 agosto 2011

Endividamento público...

Nestes últimos anos, mais precisamente, a partir da instituição pela lei da bala da Democracia, o Estado Português tem vendido sonhos ao povo, que agora se estão a reflectir no endividamento público sem controlo e cada vez mais perigoso para as futuras gerações.
-
Temos afirmado que se mente muito em Democracia, que a oratória do entretenimento e o folclore político são as palavras chave para compreender a trama, sem contudo esquecer o controlo quase totalitário das funções decisórias do Estado pelas famílias políticas e famílias de sangue.
-
Mas vamos mais longe, ao ponto de dizermos que o Estado, isto é, aqueles que se servem do Estado, em nome do povo (que eles não gostam), continuam a viver uma vida de ricos. Dizem-nos que o Estado não tem dinheiro, que é pobre, mas eles vivem vida de rico com o que o Estado não tem, quer dizer, vivem à grande e a Francesa, vivem com bons vencimentos que a função permite, e quando esta não permite, muda-se a designação da função para aumentar o vencimento (não pensem que andamos aqui a dormir), andam em bons carros, carros de ricos num país pobre - enfim, suspenda-se já este sistema de governo, que não governa o todo, ou para o todo, mas que governa o dinheiro do todo em benefício próprio, entenda-se do sistema...

Sem comentários: