27 setembro 2011

Ministro das Finanças...

Sempre que um ministro das finanças é empossado na função, acha-se o salvador da pátria, o que não deixa de ser um contra-senso, se pensarmos nos ministros que já passaram pelas finanças no pós 25 de Abril.
Não só se acha o salvador, como deduz que está acima de, é capaz de, quando na verdade, quando sair, acontece como com todos tem acontecido, isto é, as finanças estarão pior do que quando fora empossado na função.
Mas vamos ao que nos levou a escrever estas palavras: afirmara à dias o excelentíssimo senhor ministro das finanças, alegadamente o mais académico cá do burgo, que o aumento da taxa do IVA de 6 para 23% nas facturas da EDP e do GÁS era uma prática quase comum nos países europeus...
Esquecera-se, o mais douto doutor de um país quase insolvente, que nesses países europeus a prática é também seguida noutras actividades, e para doutor mais sábio perceber que afinal não sabe assim tanto, damos apenas um exemplo que deve ser significativo e irrefutável pela inteligência de senhor doutor, e esse exemplo, podemos encontrá-lo nos mais diversos valor pagos pelo salário mínimo em vigor nesses países ditos mais civilizados e aos quais sua senhoria fora socorrer-se para fazer uma triste analogia, ou se preferirmos, uma analogia de trazer por casa. 
Suíça -  2.916,00€
Luxemburgo - 1.757,56€
Irlanda - 1.653,00€
Bélgica - 1.415,24€
Holanda - 1.400,00€
França - 1.377,70€
Espanha - 748,30€
Portugal - 485,00€
Não é preciso ser-se um bom académico para perceber a disparidade existente entre os países ditos desenvolvidos, onde dizem estarmos, para concluirmos que afinal a mentira da analogia é só para quem estiver distraído, ou para quem não souber fazer contas, o que parece ser um mau hábito nestes últimos anos de Democracia na "pasta" das finanças...

Sem comentários: