10 outubro 2011

Madeira

Lá com cá, o cidadão ainda prefere quem lhe prometa o que não tem para dar, ainda prefere a mentira, ainda prefere confiar o destino do dinheiro dos seus impostos em quem tem o mau hábito de gastar sem regras o que não é dele. Este parece ser o sentido do dinheiro dos impostos em Democracia...Haja algum decoro, alguma responsabilidade, e algum sentido de Estado. Esperamos para ver, mas não esperamos muito, e enquanto esperamos, o dinheiro daqueles que pouco têm tem servido para insuflar e manter a banca, única garante da Democracia. Escrevemos no passado, que sem banca não existe sistema capitalista, logo, não existe Democracia...

1 comentário:

Anónimo disse...

http://ultimobastiao.wordpress.com/