10 novembro 2011

Indignados...

Parece haver no movimento dos indignados uma tendência dirigida para as manifestações pacíficas, como se os Estados se tivessem forjado na passividade. Consideramos que existe um pensamento oculto que impõe tal atitude, de modo a que os verdadeiros indignados e revoltados se diluam no movimento por simpatia  e comodismo intelectual,  o que implica por parte destes um ajuste aos primeiros de modo a serem aceites como cidadãos conscientes e integrados na sociedade. Enquanto isso, o governo, por via de novos decretos-lei, viola a constituição, a própria lei, sem que uma indignação digna desse nome se sobreponha...
Governo saído de um partido que também tem dividido o poder desde o 25 de Abril. Logo, tem pouca legitimidade para dar pareceres sobre moral, ética e austeridade.
Continuamos, como sempre, disponíveis para liderar qualquer tentativa de transformação do que entendemos já estar desadequado ao tempo contemporâneo...

Sem comentários: