26 novembro 2011

Democracia...

Pensamos que a responsabilidade da dívida pública, é da exclusiva competência do poder político que tem dividido o poder entre si. Se ao cidadão é imputada a responsabilidade de eleger, sufragar; ao poder político democraticamente eleito, deve ser exigida responsabilidade para além do meramente político, isto é, devemos responsabilizá-los também de forma cível e até criminal. Não podemos continuar com esta farsa aparente, que responsabiliza em última instância os cidadãos pelos erros cometidos pelos políticos sem preparação da gestão do bem público, sem moral e sem sentido de Estado.

Leva-los a tribunal equivale a enaltecer a democracia, efectivando o debate democrático como única forma saudável de reagir e agir aos desmandos dos políticos irresponsáveis...

24 novembro 2011

Greve Geral

Existem direitos que foram alcançados ainda durante o estado novo, e que agora, estranhamente, são alienados pela democracia. Dito de um outro modo mais acutilante, existem democratas piores do que o ditador...

22 novembro 2011

Luta...

Mais um livro destinado a preparar aqueles que almejem estarem prontos para liderar. O ano que se avizinha não só requer conhecimento teórico de como fazer, como requisita o saber prático de quem já sabe o que pode fazer...

20 novembro 2011

Livros...

No lado direito do blogue surge uma capa de uma livro, sempre diferente, de modo a que cada um possa ler o que puder. Todavia, são capas de livros importantes para a formação do carácter, logo, tratam-se de livros que moldam, que permitem a nível intelectual desenvolver competências. Raciocínio e aptidões várias para o desempenho de funções destinadas ao controlo da informação... 

14 novembro 2011

Nigel Farage


A Europa parece estar louca. Pior ainda, é termos governantes loucos... cujo pensamento é perigoso e ingénuo. A ignorância e a idiotice andam de mãos dadas com a inexperiência política e económica... fruto de uma ideia democrática já decadente, onde a primazia assenta nos mercados financeiros, que não olham a meios para criar pobreza em seu benefício, dito de um outro modo, para enriquecerem à custa de austeridade de outros, que eles não conhecem nem querem conhecer...

Este pensamento de liberalismo total, já está a fazer vítimas, vítimas famintas, que se recusam a lutar pelo que é seu. Idiotas uns e outros!!!

12 novembro 2011

Utilidade da vida...

A utilidade do pobre reside na necessidade do rico

Esta frase por nós reinventada ilustra muito bem as relações sociais existentes neste tempo moderno, entendido no meio académico como contemporâneo.

Séculos de informação livresca, e agora de informação digital não foram nem são suficientes para esclarecer o cidadão, que tem preferido viver como o animal, isto é, prefere ir vivendo sem se importar muito com esse facto. A não ser lamentar-se "de nada fazer". Parafraseando Séneca, o problema existe na lamuria, o que significa que é preciso passar para além da lamuria, que é como quem diz, fazer mais que a lamentação contínua, sem um qualquer esforço de mudança...

Sendo mais acutilante, apenas acrescentamos que a parte animal do homem, parece prevalecer sobre a razão. O que de certo modo justifica a inacção, o deixar andar, a indiferença, a falta de cultura e inteligência. Talvez por este motivo, a frase acima reproduzida caracterize sem artefactos o cidadão, que face ao ataque constante do governo à sua ideia de bem-estar social, continue a ignorar que o tempo presente é um tempo de mudanças profundas na sociedade, onde ele está inserido. Logo, que é um tempo onde o cidadão pode agir, ajudando a reformular conceitos e práticas de vida em sociedade, em seu benefício e das gerações vindouras.

Ignorando este facto, bem como recusar-se a agir, ou impedindo outros de agir pela coação física, moral e intelectual, o cidadão irá assistir no futuro bem próximo a um retrocesso sem precedentes da  sua economia familiar.

Consideramos que o cidadão, talvez por esse motivo, não mereça mais, na medida em que já abdicou de lutar pelo que é seu...

10 novembro 2011

Indignados...

Parece haver no movimento dos indignados uma tendência dirigida para as manifestações pacíficas, como se os Estados se tivessem forjado na passividade. Consideramos que existe um pensamento oculto que impõe tal atitude, de modo a que os verdadeiros indignados e revoltados se diluam no movimento por simpatia  e comodismo intelectual,  o que implica por parte destes um ajuste aos primeiros de modo a serem aceites como cidadãos conscientes e integrados na sociedade. Enquanto isso, o governo, por via de novos decretos-lei, viola a constituição, a própria lei, sem que uma indignação digna desse nome se sobreponha...
Governo saído de um partido que também tem dividido o poder desde o 25 de Abril. Logo, tem pouca legitimidade para dar pareceres sobre moral, ética e austeridade.
Continuamos, como sempre, disponíveis para liderar qualquer tentativa de transformação do que entendemos já estar desadequado ao tempo contemporâneo...

08 novembro 2011

Brincar em democracia

Por mais que nos custe, temos de afirmar o primado da democracia sobre os outros poderes políticos existentes e ensaiados desde Atenas, berço da democracia, e de outros saberes distintos. Foi na Grécia clássica  que foram ensaiados os modelos políticos e  filosóficos, para não falarmos de outros, como a história, a poesia, o teatro, as religiões, e por aí fora... Tudo foi lá encubado, a exemplo das incubadoras de ideias empresariais modernas. Contudo, o homem democrático, como tão bem exemplificou Platão, inclina-se mais para a insolência, a opinião, os prazeres desenfreados, os lucros, o desprezo pelos princípios, a ignorância e a avareza, havendo mais adjectivos que o caracterizem... Parece anormal afirmar que existe normalidade nesta amalgama de nadas, mas este princípio é um princípio muito democrático, onde a ovelha é chamada a comandar as outras ovelhas. Não importa se está preparada ou se foi devidamente instruída para a gestão da coisa pública, o que parece importar é que agrade ao cidadão, nem que para isso tenha de lhe mentir, mentir continuamente até não suportar mais os desastres provocados por tão e tão grandes mentiras docemente praticadas ao longo da história da democracia...
 
A Atenas de hoje, agora já adulta, já mais Grega, ensaia a catástrofe, mais um princípio a ser aplicado religiosamente pelo ocidente, tão ávido de sangue e de asneira...

05 novembro 2011

A farsa da democracia para todos...

Compramos o jornal porque consideramos que ainda é o mais independente de todos, apesar da subjectividade normal dos seus colaboradores.

Contudo, vamos mais longe, isto é, se estivéssemos à frente do dciap, à muito que alguns ditos líderes, políticos de trazer por casa, já estavam presos...

01 novembro 2011

Comunicado_ASPIG

Este comunicado também pode ser lido no blogue da ASPIG, de modo a que todos percebam a preocupante realidade das forças de segurança, que a cada novo dia, deixam de acreditar no Estado que juraram defender...

Já tínhamos alertado para as graves consequências que poderiam advir do facto de termos acreditado na liderança de incompetentes para o comando do país. Não podemos continuar a permitir que a opinião se sobreponha ao juízo, sob pena de a factura futura ser ainda pior do que a actual...

Continuaremos a utilizar este meio para produzir prova contra a consequente incompetência da política na Democracia portuguesa...