31 janeiro 2012

Europa...

Estamos bastante apreensivos sobre o futuro, nomeadamente aquele que mais diretamente nos diz respeito. A nossa formação permite-nos perceber que as conjunturas históricas são acontecimentos que determinam inexoravelmente a forma como vemos o mundo, consequentemente, como lidamos com a expectativa de um futuro melhor.

Daí, que a tentativa de se fazer a história contemporânea  em cima do joelho seja quase uma tarefa impossível, na medida em que não vemos o todo, nem o que se esconde por de trás do véu, que oculta um sem número de mentiras democráticas sobre a forma como se deve administrar o bem geral, que cada vez mais é um bem reduzido ao particular e ao que detém o poder de fazer...

Sem comentários: