22 março 2012

Terrorismo...

Reuters/Jean-Paul Pelissier

Parece que a monitorização levada a cabo pelos serviços secretos franceses não fora muito eficaz na análise e percepção do risco, bem como da investigação diligente ao passado violento de Mohamed Merah.

3 comentários:

Anónimo disse...

Excelência,

Ou foi-o de mais? Numa altura de eleições presidenciais, em que não se vai pressionar ninguém em especial, em que se tende a agregar as pessoas em soluções de continuidade, por temerem a mudança, esta seria a melhor manobra de campanha dum presidente que quer limitar a entrada de gente "desta" (e bem).

E é sempre útil continuar a agitar o espantalho da Al-Qaeda, que de facto nunca existiu por si, e muito menos existirá agora. Particularmente útil esse espantalho, quando há cortes nos gastos em defesa numa época de crise e a indústria das armas se vai vendo limitada a mercados muito longínquos.

Seja como fôr, quem faz estas coisas nunca fica vivo para contar.

Pax.

PS: continuo procurando solução para aquele nosso problema comunicativo.

Tot disse...

Excelentíssimo K,

O seu primeiro parágrafo já tinha sido pensado, contudo, não escrevemos sobre tudo o que pensamos, nem sobre o que pensamos saber...

Todavia, todos os serviços, com as informações incluídas, fazem sempre o favor a quem está no poder... Que são sempre os mesmos, apesar de pensarmos que não...

Como lhe já havia dito, também procuro soluções, embora já tenha identificado algumas.

Cumprimentos

Carlos Portugal disse...

Contudo, Caro Tot, tudo isto cheira - tresanda - a «false flag», ou das secretas francesas ou da própria Mossad...
Quem lucra?

Cumprimentos.