30 maio 2012

Silêncio

O silêncio destes últimos dias deve-se ao facto de estarmos empenhados na resolução de questões políticas, de modo a assegurar que o deus também participe e conheça a fundo o funcionamento dos partidos políticos. 

Temos consciência que é uma arte já desmoralizadora, conflituosa, onde impera a astúcia e a artimanha, as palmadinhas nas contas e o corre corre momentâneo da conquista do sorriso e do voto.

Não nos esqueçamos dos oito "tentáculos" do polvo, que não são mais do que portas abertas para o poder; por este motivo é que é difícil extirpar o mal, as ervas daninhas e os diz que diz...

Sem comentários: