07 outubro 2012

A justificação da revolta pela Constituição da República Portuguesa

Artigo 21.º
(Direito de resistência)
Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública.

O artigo é claro, explicito, diz-nos que temos o direito à resistência. Que temos o direito de agir pela força face a qualquer agressão cometida contra nós.

Neste sentido, é o que devemos fazer. Devemos sem demoras nem lamurias, repelir pela força considerada necessária, o assalto aos nossos direitos, o assalto aos nossos salários, o assalto ao nosso bem-estar e o assalto ao nosso modo de vida conquistado pelos nossos pais.

Devemos nestes tempos incertos e de instabilidade sair da comodidade do sofá, da confortável atitude de distância face aos acontecimentos contemporâneos; aqueles que pela via coerciva da lei, nos provocam diminuição do vencimento, aqueles que pela via coerciva da lei criam dificuldades às empresas... Devemos neste tempo único, estar atentos, despertos e disponíveis. Devemos ser activos e diligentes, e ter presente que podemos ser chamados a qualquer momento a mudar inexoravelmente o rumo da História...

Sem comentários: