24 novembro 2013

Querer

Depois do se passou com a manifestação das forças da autoridade, pensamos que está definitivamente dado o mote para que de uma vez por todas se mude de governo e se mude de regime, que tanto um como o outro já fedem, não porque cheirem mal, mas porque simplesmente já devem ser mudados...
Disse-vos no passado, que o Estado não tinha meios humanos e materiais que pudessem suster uma revolta contra o governo... afirmá-mo-lo de novo, porque considerámos urgente introduzir a justiça no seio do Estado, porque se for apenas para substituir este governo por um outro igual ou semelhante, não vale o esforço, o que significa, que a ser feita e imposta a mudança de governo e regime... tudo deve ser alterado, de modo a que nada permaneça como está...

Quando aparecerem os homens... digam-nos, porque será feita a mudança logo no dia seguinte, e sê-lo-á feita sem muito alarido, porque já nem isso é preciso... uma vez que este governo e este regime se encontram precisamente no fim de um ciclo...

17 novembro 2013

Estás pronto?

No silêncio descobrimos tudo, efectivamente tudo, descobrimos que podemos ser e fazer o que queremos, mesmo que isso pareça impossível... Descobrimos que é na mudança que evoluímos, que é na mudança que construimos um futuro novo... contudo, temos de ter consciência que esse novo futuro, antes de acontecer, implica que no presente tenhamos de passar por algumas provas, algum desconforto, alguma confrontação... se queremos mudar algo, se queremos mudarmo-nos, ou se simplesmente queremos mudar o presente... temos de obrigatoriamente ter uma atitude activa, mais, pro-activa, de modo a estar preparados para qualquer eventualidade, e saber aguentar os embates da vida, a transformá-los em ganhos, em aquisições de experiência... temos de saber escrever a nossa história com o nosso próprio pulso, senão, somos apenas números que só servem para preencher os espaços vazios, apenas números que dão sentido à quantidade, mas o que nós queremos para ter um país melhor: é qualidade, homens bons, homens capazes de construir, homens capazes de escrever a história de todos sem se resignarem, fazendo-o com diligência, amor e com sentido do colectivo, de que todos vão beneficiar amanhã... esta sim - é a verdadeira dação, aquela que implica desprendimento pelo bem comum... que inexoravelmente irá produzir melhorias significativas na evolução das gentes... não há que temer ou ter medo da mudança, basta apenas que nos predispomos a mudar, e todo o resto acontece demasiado depressa para poder ser sustido... se tiveres vontade de mudar... estamos aqui para te elevar a um outro patamar de vivência...

09 novembro 2013

Cidadania política...

Depois de algum tempo afastados deste nosso privilegiado meio de comunicação, decidimos de novo romper o silêncio que pairava no ar... Não podemos continuar a fazer de conta, nem deixar que aqueles que foram democraticamente eleitos pelo povo para administrarem o bem comum, sejam mais umas aves de rapina, do que apenas uns meros executores do mandato popular, ou que isso possa significar para o bem-estar das gentes, que dia após dia, vê esse bem-estar, outrora crescente, agora a fugir-lhe por entre os dedos...

Neste sentido, resolvemos voltar à vida, voltar a clandestinidade do políticamente correcto... porque o pensamento único é cada vez mais único mas menos um pensamento...

Urge neste sentido resgatar o entusiasmo simples e natural de quem quer agarrar a história com as duas mãos, de quem quer ver vir de frente a trama das solidariedades políticas e solidariedade de sangue...